Bolsonaro fala sobre a vacina da China: “Já existe um descrédito”

Presidente também afirmou que Pazuello é um dos melhores ministros da Saúde que o Brasil teve nos últimos anos

atualizado 22/10/2020 9:57

posse ministro pazuello saude 3Igo Estrela/Metrópoles

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou novamente que o Brasil não comprará vacinas da China, após toda a confusão envolvendo a compra de Coronavac, vacina que está sendo produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a China. As declarações foram dadas em entrevista à rádio Jovem Pan, na quarta-feira (21/10),.

Bolsonaro disse que a origem da vacina chinesa e a falta de comprovação científica impossibilitam a compra do produto. “Da China não compraremos. Não acredito que ela transmita segurança para a população pela sua origem. Temos certeza que outras vacinas que estão em estudo poderão ser comprovadas cientificamente”.

Ele ressaltou que o Brasil possui um vínculo grande com a China em diversas áreas do comércio e em alguns pontos podem estar alinhados, porém, não nessa questão. Além disso, afirmou que o povo brasileiro é contra a vacina chinesa porque “o vírus teria nascido lá”.

Para o chefe do Executivo, a confiança é a chave principal que levou a não aquisição. “A ideia é dar ‘xxx’ (suposição de valor) a outras vacinas mais confiáveis. Com a da China, lamentavelmente, já existe um descrédito muito grande por parte da população”.

0

Ministro da Saúde

Em uma reunião com governadores na terça-feira (20/10), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou a intenção de comprar 46 milhões de doses de vacina Coronavac. Bolsonaro, porém, desautorizou o ministro e disse que não vai comprar a “vacina chinesa de João Doria”.

Sobre a relação com o ministro da Saúde, Bolsonaro explicou que Pazuello é militar e sabe que quando um chefe decide, o subordinado tem que cumprir. O presidente destacou, na entrevista, que houve uma certa precipitação por parte do ministro, pois uma decisão tão importante deveria ser informada ao chefe do executivo antes de ser tomada.

Apesar do ocorrido, Bolsonaro destacou que é amigo de longa data de Pazuello e está tudo bem entre eles. “Conversei agora há pouco, no WhatsApp, com Pazuello, sem problema nenhum. Meu amigo de muito tempo, ele continuará ministro. Ouso dizer que é um dos melhores ministros da Saúde que o Brasil já teve nos últimos anos”.

Últimas notícias