Insumos para 1 milhão de doses da vacina Coronavac chegam a São Paulo

Governador João Doria posou em frente a contêiner com 600 litros de matéria-prima e chamou Coronavac de "a vacina dos brasileiros"

atualizado 03/12/2020 7:47

SP recebe insumos para produzir coronavacFábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – Cerca de 600 litros de matéria-prima para a produção da vacina Coronavac chegaram às 5h27 da manhã desta quinta-feira (3/12) ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo. Com essa quantidade de insumos, será possível que o Instituto Butantan produza até um milhão de imunizantes contra a Covid-19.

Segundo o Instituto Butantan, o voo partiu da China nessa quarta-feira (2/12), fez uma escala em Zurique, na Suíça, e então seguiu para São Paulo, onde o desembarque dos insumos foi recebido por João Doria (PSDB), governador de São Paulo; Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan; e Jean Gorinchteyn, secretário Estadual de Saúde.

0

Na ocasião, João Doria se congratulou na recepção chamando a carga de “a vacina do Butantan, a vacina que vai salvar a vida dos brasileiros”. Os contentores com a carga receberam um banner gigante com a frase “a vacina do Brasil”, em frente da qual João Doria posou para fotos.

Funcionários cobrem carga de insumo de Coronavac com banner em que se lê “A vacina do Brasil”
João Doria posa para foto em frente a carga de insumo de Coronavac

A carga que chega hoje é diferente da que chegou no dia 19 de novembro. Naquele dia, chegaram a São Paulo 120 mil doses prontas da Coronavac. Nesta manhã, o Brasil recebe os ingredientes para produzir a vacina no Brasil.

Após desembarque, a carga de matéria-prima foi armazenada em um caminhão refrigerado — tanto a vacina quanto os ingredientes devem ser armazenados sob temperatura entre 2°C e 8°C — e seguiu para o Instituto Butantan sob escolta policial.

A entidade diz pretender iniciar a produção das vacinas em uma das fábricas nos próximos dias.

Ainda são necessários mais cerca de sete voos da China para trazer todos os insumos e doses prontas previstos em contrato entre a farmacêutica Sinovac e o Governo de São Paulo. Ao todo, são 46 milhões de doses, sendo 6 milhões prontas e 40 milhões em matéria prima.

De acordo com o Ministério da Saúde, somando os três acordos negociados no Brasil — com as farmacêuticas AstraZeneca/Oxford, Covax Facility e Butantan-Sinovac — o brasileiros poderão dispor de 186 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 ainda no primeiro semestre de 2021 na rede pública de saúde.

 

Últimas notícias