Canadá sugere 2ª dose da Pfizer ou Moderna para quem tomou AstraZeneca

Comitê indica que resposta imunológica é melhor ao misturar duas fórmulas. No Brasil, indicação é tomar dose e reforço da mesma fabricante

atualizado 21/06/2021 21:05

Getty Images

O comitê de imunização do Canadá, o Naci, decidiu recomendar, na última semana, que a população vacinada com a primeira dose da AstraZeneca/Oxford contra a Covid-19 receba o reforço, de preferência, com fórmulas de RNA mensageiro, como na vacina da Pfizer/BioNTech e da Moderna.

“Novas evidências estão começando a surgir, sugerindo que as respostas imunológicas são melhores quando uma primeira dose da vacina AstraZeneca é seguida por uma vacina de mRNA como segunda dose”, afirma, em nota, Shelley Deeks, diretor do órgão. O comitê também pretende diminuir a ocorrência de coágulos sanguíneos, uma reação rara à vacina britânica.

A recomendação canadense também foi influenciada pelo fato de o país possuir mais doses da Pfizer e da Moderna do que da AstraZeneca. O grupo reforça que pessoas imunizadas com as duas doses da vacina de Oxford estão protegidas contra quadros graves e hospitalização em consequência da Covid-19.

O Naci também sugere que, se for possível escolher, a população deve optar pelas vacinas de RNA mensageiro também na primeira dose.

A estratégia de misturar as doses de duas fabricantes diferentes ainda está sendo estudada. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirma que até o momento não foram apresentadas pesquisas sobre a possibilidade de mudar o esquema vacinal no Brasil.

O Ministério da Saúde continua não recomendando a intercambialidade de vacinas e pede que as duas doses aplicadas sejam do mesmo fabricante, dentro do intervalo indicado.

Saiba como as vacinas contra Covid-19 atuam:

0

Últimas notícias