Covid-19: internações caem 85% após 1ª dose de vacinas Pfizer e Oxford

Estudo feito na Escócia mostra que a admissão hospitalar caiu consideravelmente na 4ª semana após aplicação de imunizantes

atualizado 22/02/2021 13:52

Reino Unido inicia vacinação em massa contra o coronavírusJacob King - Pool / Getty Images

A aplicação da primeira dose das vacinas contra a Covid-19 desenvolvidas pela Pfizer/BioNTech ou pela Oxford/AstraZeneca foi capaz de reduzir o risco de internação hospitalar em mais de 85%, de acordo com pesquisa realizada por cientistas escoceses sobre a campanha de vacinação no país. As informações foram divulgados nesta segunda-feira (22/2) pelo serviço de saúde do país.

A pesquisa liderada pela agência governamental Public Health Scotland analisou os impactos das duas fórmulas no sistema de saúde escocês quatro semanas após a aplicação da primeira dose. A da Pfizer reduziu as internações em 85% e a da AstraZeneca, em 94%.

Entre as pessoas com mais de 80 anos, considerados mais vulneráveis à forma grave da doença, o índice de hospitalização caiu 81%, em média. O Reino Unido adotou a política de atrasar a dose de reforço em três meses após a primeira injeção para que mais pessoas possam receber os imunizantes enquanto novas vacinas são produzidas.

Para checar aos percentuais divulgados, os cientistas compararam o número de internações por Covid-19 entre a população vacinada e a que ainda não havia recebido o imunizante entre 8 de dezembro e 15 de fevereiro. Das 8 mil pessoas que precisaram de suporte hospitalar, apenas 58 tinham sido vacinadas.

Durante o período do estudo, 1,14 milhão de doses de vacina foram administradas na Escócia. Cerca de 650 mil pessoas receberam a vacina da Pfizer e 490 mil a de Oxford.

0

 

Últimas notícias