Após prisão de sargento, Bolsonaro pede a premier “punição severa” por tráfico

Em viagem no avião da FAB, o militar Manoel Silva Rodrigues foi preso ao ser flagrado com 39 quilos de cocaína em uma mala de mão

atualizado 28/06/2019 7:11

Carolina Antunes/PR

Enviada especial a Osaka (Japão) – O presidente Jair Bolsonaro (PSL) teve um rápido encontro com o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, na cúpula do G20, em Osaka, no Japão. Na ocasião, agradeceu “pelo modo como as autoridades espanholas estão lidando com o caso dos entorpecentes apreendidos em avião da FAB”. No twitter, o chefe do Executivo informou sobre o encontro. Nessa terça-feira (25/06/2019), o sargento Manoel Silva Rodrigues foi preso na Espanha ao ser flagrado com 39 quilos de cocaína em uma mala.

O militar estava no avião da comitiva presidencial chamado “escalão avançado”, que segue algumas horas à frente da aeronave onde viaja o presidente da República. Segundo o jornal espanhol El País, a droga foi detectada quando as bagagens da tripulação passaram pelo controle da alfândega espanhola, em Sevilha.

Na conversa com o primeiro-ministro, Bolsonaro disse que ratificou  a defesa “por punição severa para o tráfico”. O assunto também foi tema da live feita pelo presidente da República no Twitter, nessa quinta-feira (27/06/2019), quando ele garantiu que o militar “vai pagar um preço alto”.

Na postagem, Bolsonaro se referiu a Pedro Sánchez como “presidente”, mas o espanhol é primeiro-ministro. Sánchez é do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE). Em janeiro de 2019, ao comentar o avanço da extrema direita na Espanha, em especial do partido Vox, o premier ironizou Bolsonaro. Ele fez um jogo de palavras com o sobrenome do presidente brasileiro e o nome do partido direitista, chamando os integrantes de “os voxonaros da Espanha”. Na ocasião, afirmou que “o futuro nunca será dominado por aqueles que estão ancorados no passado.”

Últimas notícias