Restaurante Trás-os-Montes entrega receitas originais portuguesas

Negócio de pastéis de nata que começou na casa das sócias Daniela Cruz e Kelli Torres, agora é misto de confeitaria e restaurante na 215 Sul

atualizado 24/03/2022 12:20

Foto: Luciana Barbo

Localizada no norte de Portugal, a região de Trás-os-Montes foi o ponto de partida para que a amizade de Daniela Cruz e Kelli Torres virasse uma sociedade que já vai completar cinco anos. Ali, entre as montanhas de Marão e Alvão, fica a cidade de Vila Real, na qual o avô de Daniela nasceu e onde ela buscou inspiração para abrir o negócio de pastéis de nata em Brasília.

Conheci a empresa logo no início, quando elas ainda faziam as vendas pelo perfil do Instagram. Aqueles pastéis me encantaram desde a primeira mordida, especialmente pelo recheio abundante e a massa delicada. Mas adiante, elas foram incorporando outras receitas ao rol de ofertas, até que as cozinhas de ambas ficaram pequenas para atender à demanda que só crescia.

Foi aí que, em 2021, elas abriram a primeira loja da marca, na comercial da 215 Sul. Na verdade, o lugar é um misto de confeitaria com restaurante, que serve itens de várias regiões portuguesas, preparados conforme as receitas originais, e bem raros de serem encontrados em Brasília.

Eu adoro, por exemplo, o Bolo dos Açores (R$ 18, a fatia), que tem uma história bem pitoresca. Esta receita típica da ilha que lhe dá nome, é preparada no dia de Nossa Senhora da Conceição (8/12), quando se começa a lavar as louças e arrumar a casa para as festas natalinas. Depois de assado, ele é colocado na geladeira e recebe um banho de vinho do Porto até a véspera do Natal, quando é partido para a ceia. A bebida alcoólica se junta às especiarias, banha, açúcar mascavo, oleaginosas, passas, damasco, ameixa e frutas cristalizadas, e proporciona um sabor cheio de nuances, além de uma textura úmida e gostosa. Na casa, a iguaria demora 15 dias para ficar pronta e é servida o ano inteiro.

Outra receita que nunca vi por aqui é a do Pudim do Abade de Priscos, que é uma surpresa ao paladar. A sobremesa foi criada por Manoel Joaquim Rebelo, um religioso da cidade de Braga, que ousou adicionar presunto cru e vinho à receita tradicional com ovos e leite.

Nesta semana, Daniela e Kelli colocam em cartaz outras duas iguarias ainda inéditas em Brasília. As novidades são o Prego no Pão (R$ 22), sanduíche elaborado com pão Papo Seco (quase um ciabatta redondinho), camada de manteiga, bife fino e o caldinho da fritura da carne. É uma receita da Ilha das Maçãs, criada por um comerciante de sobrenome Prego. Duvido alguém querer comer um só.

Também acabou de sair do forno, literalmente (risos), o Pão de Deus, cuja massa de brioche é coberta com doce de ovos e coco ralado fresco. Os portugueses o partem ao meio e recheiam com queijo e presunto para comer no café da manhã. A versão simples sai a R$ 12,90. A recheada, a R$ 18,90.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0

Muito mais

Quem quiser conhecer todo o menu da casa, vai ter de ir três ou quatro vezes, porque as opções são muitas e tudo instiga a curiosidade. Na parte doce, ainda há receitinhas deliciosas como a torta de laranja, uma espécie de rocambole bem amarelinho, que me lembra muito uma viagem que fiz ao Alentejo. Foi uma das sobremesas oferecidas na Herdade Grande, uma vinícola familiar incrível ao sul da região. Jamais esqueci e agora posso comer por aqui.

Travesseiro de Sintra (R$ 12), recheado com amêndoas, quindim (R$ 8) e pastel de nata (R$ 10) é o trio clássico na parte doce. Na salgada, indico ainda o croquete de borrego (R$ 36, a porção com quatro unidades), cuja carne de cordeiro é marinada por 24 horas e assada em baixa temperatura. O pastel de bacalhau nas natas (R$ 18) é outra delícia para o lanche, com massa folhada crocante e bastante recheio. Para os tradicionais, tem ainda o bolinho elaborado com bacalhau Gadus Morhua (R$ 32 com quatro unidades), o melhor que há.

Todos os dias, a casa oferece o pequeno almoço (R$ 46,90), das 9h às 18h. A fórmula é composta por bebida quente (chá, café ou cappuccino), um pastel de nata ou travesseiro de Sintra, salada de frutas da estação, tosta de pão artesanal da Castália com ovos mexidos e presunto cru, suco de laranja e manteiga. Quem deseja almoçar de verdade, a opção é o bacalhau à moda da casa (R$ 239 para duas pessoas) com cerca de 500g de Gadus Morhua, mais batatas ao murro, tomates assado, cebola, ovos cozidos, azeitonas, lâminas de alho frito, o bacalhau à moda da casa reina sozinho.

Todas as delícias podem ser levadas para casa, inclusive o bacalhau nas natas e o arroz de pato, em versões congeladas para duas pessoas, que saem ambos a R$ 179.

Serviço:
Trás-os-Montes
SCLS 215, bloco A, loja 19
Telefone: (61) 3245-2862
Funciona de segunda a sábado, das 9h às 19h
Instagram: @trasosmontesbsb

Para mais dicas de gastronomia, siga @lucianabarbo no Instagram.

Mais lidas
Últimas notícias