À caça de votos, Rollemberg toma caldo de cana e come pastel em feira

O atual governador do DF voltou a criticar seu adversário, dizendo "que a arrogância de Ibaneis faz com que ele se enrole na própria corda"

Ricardo Botelho/Especial para o MetrópolesRicardo Botelho/Especial para o Metrópoles

atualizado 21/10/2018 16:53

Candidato à reeleição pelo Distrito Federal, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) caminhou pela Feira do Guará na manhã deste domingo (21/10). Cercado de cabos eleitorais e ao sons dos jingles de sua campanha, o socialista não perdeu a oportunidade de atacar seu adversário, Ibaneis Rocha (MDB), que apontou déficit no GDF, no fim do ano, de R$ 2,4 bilhões.

“O ‘Inganeis’ procura confundir a população. Se tem déficit, por que ele está prometendo aumentos de R$ 4 milhões por ano?”, questionou. Rollemberg lembrou que seu governo teve as contas aprovadas em 2015 e 2016 e foi o único que não deu pedaladas fiscais (operações orçamentárias realizadas pelo Tesouro não previstas na legislação). 

Como o Metrópoles mostrou, mesmo com a expressiva alta na arrecadação este ano, o político que tiver em mãos a chave do Palácio do Buriti, a partir de 1° de janeiro de 2019, já entra na Casa com uma dívida de pelo menos R$ 600 milhões. A atual gestão reconheceu que não conseguirá fechar o mandato de Rollemberg com as contas em dia. Assim, a falta de caixa para cobrir as despesas de 2018 deixa restos a pagar para a próxima gestão.

Acompanhado de seu vice, Eduardo Brandão (PV), e da senadora Leila do Vôlei (PSB), Rollemberg distribuiu panfletos e santinhos na Feira do Guará e destacou a importância do corpo a corpo, especialmente nesta reta final da campanha — o segundo turno está marcado para o dia 28 de outubro. Mesmo com apenas 25% das intenções de voto, contra 75% do seu adversário, disse acreditar na virada. “Temos levantamentos internos mostrando que a nossa diferença com relação ao adversário é de apenas 15 pontos”, destacou o socialista.

Rollemberg comentou sobre a ação protocolada por ele nesse sábado (20), no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), pedindo que a Corte investigue denúncias de abuso de poder econômico contra Ibaneis.  “A arrogância do candidato o faz se enforcar com a própria corda. Ele disse que, se ganhar, vai construir casas, retiradas porque tinham sido construídas irregularmente, com o dinheiro dele. Mas se perder, não está nem aí para a população”, destacou.

Propostas
Durante a caminhada, Rollemberg parou para comer pastel de queijo e tomar caldo de cana em uma das feiras mais populares do Distrito Federal. Ele também ressaltou que uma de suas prioridades é o aluguel social para as famílias que estão na lista da Companhia Habitacional do Distrito Federal (Codhab). O benefício vai custar R$ 72 milhões por ano aos cofres públicos. “Serão R$ 600 por mês para 10 mil famílias, no primeiro ano”, explicou.

Outro projeto do socialista é dobrar o valor do DF Sem Miséria para atender 57 mil famílias que irão receber mais de R$ 400 por mês, custando ao erário R$ 120 milhões de reais por ano. O socialista voltou a ressaltar que vai garantir 25 mil novas vagas em creches.

 

Últimas notícias