*
 

Vítima de um crime que chocou a pequena Alexânia, cidade goiana localizada a quase 90km de Brasília, a estudante Raphaella Noviski, 16 anos, recebeu uma homenagem neste domingo (12/11) no estádio Urias da Silva Lima.

Os times que disputavam, no começo da manhã, o Campeonato Municipal de Alexânia (GO) estenderam uma faixa com o nome da menina e fizeram um minuto de silêncio antes da partida. Os jogadores fizeram questão de lembrar o trágico assassinato, ocorrido na manhã de segunda-feira (6/11).

Na faixa, uma frase foi destaca: “Não existe partida para aqueles que permanecessem eternamente em nossos corações.” Raphaella foi morta com 13 tiros, sete deles no rosto. O autor do feminicídio é Misael Pereira, 19, que está preso. Em entrevista ao Metrópoles no sábado (11), a mãe da menina, a comerciante Rosângela Cristina Afonso Silva, 37, falou do seu sofrimento e de toda a sua família.

“A cada dia que passa, a dor fica pior. A ficha vai caindo e vejo que nunca mais vou poder estar perto e abraçá-la. Eu não sei o que fazer”, desabafou. Ela não se conforma com a brutalidade cometida por Misael. “Fiquei sabendo que o pessoal dos Direitos Humanos foi na cadeia para ver a integridade do preso, porque ele estava com olho roxo. Cadê os Direitos Humanos para amparar minha família?”, indaga Rosângela.

 

 

COMENTE

Raphaella
comunicar erro à redação