*
 

Misael Pereira, 19 anos, chegou por volta das 14h desta terça-feira (7/11) para a audiência de custódia no Fórum da Comarca da Alexânia (GO). Assassino confesso da estudante Raphaella Noviski, 16, ele vestia camiseta e bermudas brancas, colete à prova de balas e chinelos de borracha. Estava de cabeça baixa.

Ele se manteve cabisbaixo durante a audiência, mas não o suficiente para impedir que o juiz Leonardo Lopes dos Santos Bordini percebesse a marca roxa no olho esquerdo. O magistrado quis saber o que tinha acontecido e Misael respondeu: “Escorreguei no banheiro”.

O rapaz não teve coragem de encarar a mãe de Raphaella, Rosângela Cristina Afonso Silva, que se sentou de frente para o assassino da menina. Misael se manteve frio durante toda a audiência. Após o juiz determinar que ele será mantido preso preventivamente, saiu do fórum sob protestos de populares.

 

Nos primeiros minutos, respondeu às perguntas do juiz. Disse que não sofreu violência desde a prisão, apesar do olho roxo, e recebeu visita de advogado e de familiares no presídio de Alexânia. Em seguida, entrou Davi José de Souza, 49, apontado como comparsa, que também respondeu às indagações do magistrado.

Do lado de fora do fórum, um grupo de aproximadamente 90 populares gritava “justiça”. Quando Misael e o comparsa saíram no camburão de volta para a Unidade Prisional de Alexânia, eles tentaram conter o carro. Foi preciso a intervenção da Polícia Militar para que o carro seguisse. Ambos, inicialmente, vão ficar presos preventivamente por 30 dias, prorrogáveis por mais 30.

Terror na escola
O crime chocou Alexânia, uma cidade com 26 mil habitantes. Raphaella foi assassinada com 11 tiros, sete deles no rosto. Na manhã de segunda, alunos e funcionários do Colégio Estadual 13 de Maio viveram momentos de terror. A correria após Misael pular o muro da escola e matar Raphaella com tiros à queima roupa foi capturada por câmeras de segurança.

No vídeo, é possível ver o momento em que colegas saem correndo da sala onde estudava a vítima, após um estampido. Por conta dos gritos e do barulho dos tiros, pessoas que estavam em outras classes também se apressaram para entender o que acontecia. No fim da gravação, as câmeras mostram o assassino confesso fugindo do local.

 

 

COMENTE

AlexâniaMisaelolho roxo
comunicar erro à redação

Leia mais: entorno