Em encontro com líderes religiosos, Rosso volta a alfinetar Rollemberg

Candidato ao Buriti pelo PSD disse que igrejas foram fechadas "sem explicação" no Distrito Federal: "Foram covardes"

atualizado 07/09/2018 18:39

Matheus Venzi/Especial para o Metrópoles

Candidato ao Palácio do Buriti pelo PSD, Rogério Rosso almoçou com lideranças religiosos no feriado do Sete do Setembro. E voltou a mirar sua artilharia para o governador Rodrigo Rollemberg (PSB).

“Eu vejo as propagandas eleitorais de alguns candidatos e eles mostram um Distrito Federal que não conheço. A saúde está em estado de calamidade. Se você for agora ao Hospital do Gama não vai conseguir ser atendido. Está falido, repito, falido”, comentou Rosso, ao se referir à gestão do candidato à reeleição.

Na última pesquisa divulgada pela Datafolha nessa quinta-feira (6/9), Rosso caiu um ponto percentual em relação ao levantamento anterior do mesmo instituto, feito no dia 22 de agosto deste ano. Ele passou de 13% para 12%.

Em primeiro lugar, vem Eliana Pedrosa (Pros), que subiu três pontos percentuais. A ex-deputada distrital tinha 15% e pulou para 18%. Em segundo lugar, o atual governador, Rodrigo Rollemberg (PSB), cresceu de 14% para 15%. Já Alberto Fraga (DEM) subiu de 8% para 10%

Rosso está empatado tecnicamente com Rollemberg. Sobre a queda nas pesquisas, o pessedista disse que prefere “confiar no contato com os eleitores nas ruas”. “Para quem estava com 2% antes das eleições, os números atuais são bons”, destacou.

O buritizável também criticou a postura do governo em relação à comunidade cristã. “Agiram de má-fé. Foram covardes com as igrejas do DF. Muitas acabaram fechadas sem nenhuma explicação plausível. Pretendo fazer uma gestão de edificação e não de destruição”, afirmou Rosso, em discurso.

O encontro em uma churrascaria no Carrefour Sul contou com a presença do vice da chapa, o pastor Egmar Tavares (PRB), do postulante ao Senado e principal financiador da campanha de Rosso, Fernando Marques (Solidariedade), do deputado distrital Rodrigo Delmasso (PRB) e do senador Cristovam Buarque (PPS). Os dois últimos buscam a reeleição.

O candidato ao Buriti também criticou o tratamento de Rollemberg aos municípios goianos que circundam a capital do país. “O governo do Goiás acredita que o Entorno é problema do DF e o governador daqui não cuida desses lugares”, afirma.

Rosso, que durante a campanha vem visitando as cidades do Entorno, acredita que o desenvolvimento econômico de municípios como Luziânia, Águas Lindas e Valparaíso impacta, de forma positiva, na capital do país.

Mais lidas
Últimas notícias