Dengue: confira mitos do vírus que já infectou mais de 43 mil brasilienses

Segundo informações da Secretaria de Saúde, total de casos prováveis em 2020 cresceu 20,8% em relação ao mesmo período do ano passado

atualizado 06/08/2020 11:07

Metrópoles

Além da pandemia do novo coronavírus, outra doença causa enorme preocupação aos brasilienses: a dengue. De acordo com a última atualização da Secretaria de Saúde, em 31 de julho, o Distrito Federal registrou 43.128 casos prováveis da doença e 40 mortes decorrentes dela. Os dados são referentes ao período de 29 de dezembro de 2019 a 18 de julho de 2020.

Segundo a pasta, observa-se neste ano aumento de 20,8% no total de casos, em comparação ao mesmo período de 2019, quando foram registrados 35.722 ocorrências. A doença é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, transmissor ainda da zika e chikungunya.

Mortes e casos

A maior taxa de incidência da doença neste ano foi no Gama. São 3.197,21 ocorrências a cada 100 mil habitantes. Em seguida, aparecem as regiões de Sobradinho II, com 2.998,10 registros a cada 100 mil moradores, e Sobradinho, com incidência de 2.842,69. As menores taxas são do Sudoeste e da Octogonal.

O Gama também lidera em total de mortes pela doença: foram 10 óbitos. Depois vem Ceilândia (quatro falecimentos) e Samambaia (três).

Confira os dados: 

 

0
É mentira

O clínico-geral e diretor-técnico do Hospital de Campanha de Águas Lindas de Goiás, Marcos Pontes, separou alguns mitos e verdades que podem confundir a população sobre a doença e prejudicar o combate ao vírus e ao mosquito transmissor. Confira os principais e fique livre da dengue:

  • Ar-condicionado e ventiladores matam o mosquito – MENTIRA

O médico explica que quando se usa o ar-condicionado, a temperatura e a umidade baixam e isso inibe a ação do mosquito Aedes aegypti. Ele tem mais dificuldade para detectar onde estará a possível vítima de sua picada. Porém, não morrerá.

  • Para matar os ovos do mosquito, basta secar os reservatórios de água parada – MENTIRA

O especialista fala que não é apenas o simples ato de secar os reservatórios de água parada que irá impedir o mosquito da dengue de se reproduzir. É preciso limpar o local também, pois o ovo ainda pode ser manter “vivo” por mais de um ano sem água.

  • Tomar vitamina B afasta o mosquito – MENTIRA

Apesar de ser verdade que o mosquito é atraído de acordo com a respiração e o gás carbônico exalado pela pessoa, a ingestão de vitamina B – alho ou cebola também (cujos odores são eliminados pela pele) – não é uma medida eficaz de combate à dengue.

  • Qualquer picada do mosquito transmite a doença – MENTIRA

Ainda segundo o especialista, primeiramente, é necessário que o mosquito esteja contaminado. Além disso, cerca de metade das pessoas picadas não desenvolve a doença.

  • Borra de café na água parada das plantas mata os ovos do mosquito – MENTIRA

Não há comprovação de eficácia da borra de café na água das plantas e sobre a terra no combate ao mosquito. Já foi verificado, na prática, que a larva do Aedes aegypti se desenvolve na água suja de borra de café.

  • As larvas do mosquito só se desenvolvem em água limpa – MENTIRA

Os ovos do mosquito também podem se desenvolver em água suja e parada. Então, para combater a dengue, o importante é acabar com qualquer reservatório de água parada, seja limpa ou suja.

Confira aqui outras informações sobre a dengue fornecidas pelo Ministério da Saúde.

Últimas notícias