Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Aras abriu mais de 90 apurações como agora após CPI, mas sem resultado

Instauração de notícias de fato não tem apresentado histórico muito eficaz na gestão do atual PGR

atualizado 31/10/2021 13:32

Augusto ArasPedro França/Agência Senado

O procurador-geral da República, Augusto Aras, determinou na quinta-feira (28/10) a instauração de notícia de fato para analisar o conteúdo da CPI da Pandemia. No entanto, o procedimento, uma espécie de apuração preliminar, não tem apresentado histórico muito eficaz na gestão do atual PGR. Segundo o órgão, somente durante o comando de Aras foram abertos mais de 90 procedimentos do tipo sobre ações de Jair Bolsonaro, mas a maioria sem resultado.

Apenas dois desses foram para frente e resultaram em inquéritos no STF: um para apurar possíveis problemas na compra da vacina indiana Covaxin e um sobre suposta interferência do presidente na Polícia Federal.

A lista de notícias de fato ainda sem resultados inclui a que apura a produção de relatórios da Abin para auxiliar a defesa de Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas e a sobre ataques de Jair Bolsonaro às urnas eletrônicas.

O presidente não foi o único a ser alvo de notícias de fato do PGR. No mês passado, Aras instaurou procedimento semelhante para investigar offshores ligadas a Paulo Guedes e Roberto Campos Neto.

Subprocuradores críticos ao trabalho de Aras apontam que as notícias de fato têm sido usadas pelo PGR para fingir que está fazendo algo, mas, sem levá-las à frente de fato, segue com a postura leniente que adota com o presidente.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna