Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Lucas Marchesini

Análise: Rodrigo Pacheco falou pela primeira vez à altura de seu cargo

Rodrigo Pacheco e o ministro do STF Luis Roberto Barroso fizeram duras manifestações sobre conduta de Bolsonaro contra as eleições

atualizado 10/07/2021 14:26

Coletiva de imprensa com presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco 7Igo Estrela/Metrópoles

O pronunciamento de Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, e a nota divulgada pelo ministro do STF Luis Roberto Barroso merecem atenção. Pacheco e Barroso fizeram duras manifestações sobre a fala de Bolsonaro sobre as eleições de 2022, numa semana marcada ainda pela nota das Forças Armadas atacando o senador Omar Aziz e consequentemente todo o Poder Legislativo.

Um mineiro ao cubo, que mora em cima do muro, Pacheco finalmente se pronunciou à altura de seu cargo nesta sexta-feira. Em sua fala, ele disse que não admitirá qualquer atentado contra a democracia, como o que foi feito por Bolsonaro, que disse que não vai aceitar o resultado das eleições do ano que vem. O recado também serviu de forma indireta para as Forças Armadas.

Já na nota emitida por Luis Roberto Barroso, o presidente do TSE disse que o ataque de Bolsonaro a ele é um ataque a todos os ministros do STF que ocuparam à presidência do TSE. Portanto, é na prática um ataque ao Poder Judiciário.

O presidente segue repetindo que as eleições são fraudadas para preparar o eleitorado dele para não aceitar o resultado das eleições do ano que vem, caso ele seja derrotado. Bolsonaro começa, portanto, a preparar uma tentativa de golpe, e Barroso foi bem claro: a atuação do presidente para “impedir” a eleição é crime de responsabilidade.

Assista à íntegra da análise.

Ou, se preferir, ouça a análise no Spotify.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna