Rolou na 5ª: STF veta prisão na 2ª instância e jornalistas brigam

Novo leilão de áreas do pré-sal acabou com quatro blocos encalhados e um saldo de R$ 5 bi. A Petrobras foi a única empresa a arrematar

Igo Estrela/Metrópoles

atualizado 07/11/2019 23:11

Na noite desta quinta-feira (07/11/2019), o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que será alterada a interpretação atual que permite prisão de réus após condenação em 2ª instância, ainda com recursos cabíveis antes do trânsito em julgado da sentença condenatória.

Com o placar empatado em 5 a 5, o presidente da Corte, Dias Toffoli, deu o voto de Minerva e votou pela derrubada da atual jurisprudência, formando maioria em favor de que o réu só seja preso após o trânsito em julgado – ou seja, quando esgotados todos os recursos. Com a decisão, a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pedirá sua soltura imediata.

Veja mais:

Ainda nesta quinta, o jornalista e apresentador Augusto Nunes, da rádio Jovem Pan, e o jornalista Gleen Greenwald, do site The Intercept Brasil, trocaram agressões em um programa ao vivo.

Glenn relembrou uma provocação de Nunes sobre a necessidade de o conselho tutelar verificar se os filhos do norte-americano com o deputado federal Davi Miranda não estariam “abandonados”. “Você é um covarde”, repetia.

Nunes, então, partiu para a porrada e chegou a acertar um tapa no rosto de Glenn, que ainda tentou revidar, mas ambos foram separados pela turma do deixa-disso.

Confira:

Também foi notícia:

 

Últimas notícias