Protesto contra Bolsonaro pede rapidez na vacinação em GO

Manifestantes fazem trajeto em avenidas do Centro de Goiânia com duras críticas ao governo federal sobre a pandemia da Covid-19

atualizado 29/05/2021 12:39

Vinícius Schmidt/Metrópoles

Gritos de guerra contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ecoam no centro de Goiânia, neste sábado (29/5), em manifestação que pede agilidade na vacinação contra a Covid-19 e em defesa do uso de máscaras para enfrentamento à pandemia.

“Se o povo vai às ruas protestar contra o governo em plena pandemia, é porque o governo é mais perigoso e letal do que o próprio vírus”, diz a frase em um cartaz.

0

Os manifestantes concentraram-se na Praça Cívica, em frente ao Palácio das Esmeraldas, casa oficial do governador Ronaldo Caiado (DEM), apoiador do presidente.

“O lema aqui é vacina no braço, comida no prato. Estamos protestando contra as 460 mil mortes”, diz o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Railton Nascimento.

Na movimentação, o grupo exige do governo federal, entre outras coisas, a celeridade na entrega de mais doses e a defesa de medidas de proteção como, por exemplo, o uso de máscaras e o respeito ao distanciamento social. Além disso, eles pedem o retorno do auxílio emergencial para R$ 600.

Os manifestantes também carregam e estendem grandes faixas nas avenidas da região com frases como “Fora, Bolsonaro, corrupto e genocida!”, “Bolsonaro, assassino! Paulo Guedes, ladrão!”

Todos os manifestantes usam máscara, mas não cumprem o distanciamento social. Segundo a organização do evento, 400 pessoas reuniram-se na Praça Cívica, antes de seguirem pela Avenida Araguaia a caminho da Praça do Trabalhador, onde o ato deve ser finalizado. A Polícia Militar (PM) não informou estimativa de público.

Durante o percurso da manifestação, mais pessoas aderem à mobilização e gritam “Fora, Bolsonaro” do alto de prédios. Motoristas fazem buzinaço. A expectativa da organização é que, ao longo do trajeto, pelo menos 3 mil pessoas participem do ato.

Em cima de um carro de som, outro manifestante protesta: “O povo se levanta para dizer que não aceita o governo Bolsonaro, que está matando trabalhadores e trabalhadoras neste país”, diz ao microfone, enquanto a mobilização toma as ruas da região.

No interior, também ocorrem protestos em Jataí, Cidade de Goiás e Pirenópolis.

Últimas notícias