Fábio Faria comenta troca na presidência da Petrobras: “Fato isolado”

O ministro afirmou que o governo é "100% liberal na economia" e que houve "total falta de afinidade" entre Bolsonaro e Castello Branco

atualizado 20/02/2021 10:53

Ministro das Comunicações, Fábio FariaIgo Estrela/Metrópoles

O ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD), usou seu Twitter para defender o governo de Jair Bolsonaro (sem partido). Segundo Faria, a saída de Roberto Castello Branco da presidência da Petrobras aconteceu por “total falta de afinidade” entre ele e o chefe do Executivo.

De acordo com o pessedista, a gestão do atual mandatário do país é “100% liberal na economia”, assim como “demonstrou desde 1º de janeiro de 2019”, data de sua posse.

Faria ainda definiu a troca de comando na Petrobras como “um fato isolado”.

O presidente Bolsonaro afirmou que substituirá Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna. O comunicado foi feito na sexta-feira (19/2), por rede social.

“O governo decidiu indicar o senhor Joaquim Silva e Luna para cumprir uma nova missão, como conselheiro de administração e presidente da Petrobras, após o encerramento do ciclo, superior a dois anos, do atual presidente, senhor Roberto Castello Branco”, disse o titular do Palácio do Planalto.

Entenda

Na última quinta-feira (18/2), em sua live semanal pelas redes sociais, Bolsonaro disse que considerou o quarto reajuste na gasolina, anunciado no mesmo dia pela Petrobras, como “fora da curva” e “excessivo”. Ele ressaltou que haveria consequência. Além da gasolina, o diesel teve aumento autorizado pela estatal.

“Eu não posso interferir e nem iria interferir [na Petrobras]. Se bem que alguma coisa vai acontecer na Petrobras nos próximos dias, tem que mudar alguma coisa. Vai acontecer”, pontuou.

Já em evento em Sertânia (PE), também na sexta-feira, o chefe do Executivo tinha afirmado que haveria mudança na Petrobras.

Últimas notícias