Após agenda no Sul, Bolsonaro faz live de quinta-feira

Mais cedo, presidente cumpriu agenda em Foz do Iguaçu, onde voltou a defender indicação de Joaquim Silva e Luna para o comando da Petrobras

atualizado 25/02/2021 19:56

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizou na noite desta quinta-feira (25/2) uma transmissão ao vivo nas redes sociais.

Veja como foi:

A live desta quinta ocorreu após agenda em Foz do Iguaçu (PR) para cerimônia de revitalização do sistema de Furnas associado à Usina Hidrelétrica de Itaipu. Na ocasião, Bolsonaro afirmou  que o convite ao general do Exército Joaquim Silva e Luna para presidir a Petrobras visa conferir uma nova dinâmica à estatal petroleira.

“O convite que fizemos ao senhor general Silva e Luna para presidir a Petrobras visa uma nova dinâmica àquela empresa. E nesse momento eu agradeço a ele por ter aceitado esse convite. E pode ter certeza que todos aqueles que dependem do produto da Petrobras vão se surpreender positivamente com seu trabalho quando ele lá assumir”, disse o presidente.

Perda de valor

Bolsonaro indicou o general da reserva Joaquim Silva e Luna na semana passada após a alta dos preços dos combustíveis. Ele assumirá o cargo de presidente no lugar de Roberto Castello Branco. A mudança, entretanto, precisa do aval do Conselho de Administração da Petrobras.

O mercado não reagiu bem ao anúncio e a estatal perdeu quase R$ 75 bilhões em valor de mercado na segunda (22/2). Foi a segunda maior queda diária em valor da mercado da Petrobras desde o início do plano Real. Na sexta-feira (19/2), a petroleira já tinha encolhido R$ 28 bilhões.

Sob as acusações de interferência na Petrobras, Bolsonaro disse na terça (23/2) que “não tem briga com a Petrobras”, mas que quer “previsibilidade” da estatal.

“Energia é uma coisa extremamente importante para nós. Não temos briga com a Petrobras, queremos que cada vez mais ela possa nos dar transparência e previsibilidade. Não precisamos esconder reajuste ou seja lá o que for o que integra o preço final dos combustíveis”, disse o presidente.

Últimas notícias