Bolsonaro diz que Silva e Luna vai dar uma nova dinâmica à Petrobras

Presidente afirma que todos que dependem do produto da petroleira vão se surpreender positivamente com o trabalho do general

atualizado 25/02/2021 13:31

Presidente Jair Bolsonaro em discursoIsac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse, nesta quinta-feira (25/2), em agenda em Foz do Iguaçu (PR), que o convite ao general do Exército Joaquim Silva e Luna para presidir a Petrobras visa conferir uma nova dinâmica à estatal petroleira.

“O convite que fizemos ao senhor general Silva e Luna para presidir a Petrobras visa uma nova dinâmica àquela empresa. E nesse momento eu agradeço a ele por ter aceitado esse convite. E pode ter certeza que todos aqueles que dependem do produto da Petrobras vão se surpreender positivamente com seu trabalho quando ele lá assumir”, disse o mandatário em discurso.

Silva e Luna foi indicado na semana passada para o comando da estatal, após insatisfações do presidente da República com a direção do economista Roberto Castello Branco.

Desde fevereiro de 2019, o general da reserva é diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, hidrelétrica que pertence ao Brasil e ao Paraguai e responde por 15% da energia consumida pelos brasileiros.

Bolsonaro elogiou o trabalho de Silva e Luna no comando da hidrelétrica. “Estando à frente dessa estatal binacional, ele realmente a conduziu de forma ímpar, combatendo desvios, colocando-a no rumo da prosperidade, colaborando com o governador do estado, o senhor Ratinho Jr., colaborando com mais de 30 prefeituras da região.”

Visão social

O chefe do Executivo também defendeu que uma estatal precisa ter visão social e disse que não se pode admitir um presidente que não tenha esse panorama.

“Uma estatal, seja ela qual for, tem que ter a sua visão de social. Não podemos admitir em uma estatal um presidente que não tenha essa visão.”

De saída, o atual presidente da Petrobras adota a linha do liberalismo econômico, à semelhança do ministro da Economia, Paulo Guedes. Na companhia, Castello Branco foi contra a política de intervenção nos preços e a favor da venda de ativos considerados não estratégicos, como a distribuidora BR.

O presidente da República voltou a dizer que é preciso garantir previsibilidade nos combustíveis. “Previsibilidade, prezado almirante Bento [Albuquerque, ministro de Minas e Energia], prezado general Silva e Luna, nós temos que ter. Nós temos que nos antecipar a problemas e ter visão de futuro”, afirmou.

Agenda

Bolsonaro participou, nesta quinta-feira, de cerimônia de revitalização do sistema de Furnas, financiada pela hidrelétrica de Itaipu. O governador do Paraná, Ratinho Jr. (PSD), esteve presente.

Acompanharam o presidente na agenda os ministros do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e do Turismo, Gilson Machado, além do presidente da Itaipu, Joaquim Silva e Luna.

Últimas notícias