*
 

Manifestantes se reúnem na Avenida Paulista, em São Paulo, para protestar contra a possibilidade de um habeas corpus preventivo ser concedido ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O pedido do petista para não ser preso após condenação em segunda instância será julgado nesta quarta-feira (4/4) pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A Avenida Paulista está fechada para o trânsito da altura da Alameda Campinas até a Ministro Rocha Azevedo Alves.

Um grupo se concentrou próximo ao caminhão do Vem Pra Rua, na altura da Rua Pamplona e em frente ao prédio da Federação das Indústrias do estado de São Paulo (Fiesp). Também há um caminhão do Movimento Brasil Livre (MBL) em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp). Há faixas em apoio à Operação Lava Jato e pedindo a prisão de Lula.

Rio
O partido Novo convocou seus filiados para participarem dos atos desta terça-feira (3). O presidenciável da sigla, João Amoedo, participa da manifestação no Rio. Os atores Victor Fasano, Luana Piovani e Carlos Veneza também confirmaram presença no ato em Copacabana, organizado pelo movimento Vem Pra Rua.

“Estamos fazendo o nosso papel de pressionar o Supremo”, afirmou uma das organizadoras do evento, Adriana Baltazar, na Avenida Atlântica.

Belo Horizonte
Na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte (MG), manifestantes defendem a prisão do ex-presidente Lula e pedem ao Supremo a rejeição do habeas corpus que garantiria a liberdade do petista. Dois trios elétricos foram montados na praça, cada um em uma extremidade. Um do MBL e outro do Vem pra Rua. Os discursos são contra os ministros do STF e pela prisão de Lula nesta quarta.

“Decidimos fazer essa manifestação contra a postura do STF que pode liberar os condenados em segunda instância. Se liberarem o Lula, vários criminosos terão de ser soltos”, afirmou o estudante Ivan Hunter, coordenador do Movimento Brasil Livre, organizador do evento.

 

 

COMENTE

STFmanifestaçãohabeas-corpusjulgamento de lula
comunicar erro à redação

Leia mais: Política