Bolsonaro confirma fim da necessidade de vistos para chineses

Medida facilita a entrada de cidadãos da China no Brasil. A ideia é atrair turistas e comerciantes do país asiático

Fiesp/divulgaçãoFiesp/divulgação

atualizado 24/10/2019 12:51

Enviada especial à Pequim (China) – Ao lado do chanceler Ernesto de Araújo, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), confirmou que vai isentar chineses de vistos para entrar no Brasil.

Segundo o mandatário da República, a medida vale tanto para turismo quanto para negócios. “Pretendemos fazer a mesma coisa com a Índia”, disse na noite desta quinta-feira (24/10/2019), após jantar com a comitiva presidencial e com o dirigente da Fiesp, Paulo Skaf.

De acordo com o chefe do Executivo federal, ainda não há prazo para que a medida passe a valer, mas afirmou que será “o mais rápido possível, dentro dos moldes da lei”. Bolsonaro acredita que a facilitação aumentará o turismo no país.

“No Turismo, pretendemos cada vez mais abrir espaço para empresas da aviação, buscando apresentar [representantes das companhias] a governadores e facilitar isso”, justificou.

Na ocasião do anúncio, o titular do Palácio do Planalto utilizou o apelido que concedeu ao ministro Paulo Guedes, da Economia, para chamar o chefe da pasta das Relações Exteriores. Dessa forma, Araújo tornou-se o segundo “posto Ipiranga” do governo.

A medida facilita, portanto, a entrada de chineses no Brasil. Um projeto que trata do assunto já está em fase licitatória no Ministério das Relações Exteriores e prevê o aumento no número de centros de atendimento para vistos. A ideia é que a quantidade quadruplique.

A China não é a primeira nação a receber a benesse promovida pelo governo Bolsonaro. Neste ano, Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália já receberam a mesma isenção de vistos para entrar em território brasileiro.

Últimas notícias