Mesmo com aumento de casos, Guedes nega segunda onda de Covid-19 no Brasil

Ministro disse que a doença está sofrendo "repique", mas negou a existência de nova leva de contaminação no país

atualizado 23/11/2020 12:38

Ministro da EconomiaHugo Barreto/Metropoles

Mesmo com o aumento de 42,5% na média móvel de óbitos pelo coronavírus, o ministro da Economia, Paulo Guedes, negou que o Brasil esteja passando por uma segunda onda de contaminação. Em evento virtual promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), nesta segunda-feira (23/11), Guedes disse que a doença está sofrendo “repique” e que é preciso observar o número de mortes.

“Alguns dizem agora: ‘Não, mas está voltando, (está havendo) segunda onda’. Espera aí. Nós tínhamos 1.300 óbitos por dia, 1.200, 1.000, 900, 700, 500, 300… E agora parece que está havendo um repique. Mas vamos observar. São ciclos”, disse o ministro.

Apesar do comentário contrário de Guedes sobre a existência de uma segunda onda de contaminação no país, o Brasil sofre com o aumento no número de casos diariamente.

0

Nas última sexta-feira (20/11), o Brasil registrou o marco de 6 milhões de pessoas contaminadas por coronavírus. Segundo o último levantamento do Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass), divulgado no fim desse domingo (22/11), a média móvel de óbitos chegou a 483, aumento de 42,5% em relação aos 14 dias anteriores.

Entre sábado (21/11) e domingo, foram registrados 18.615 novos casos de Covid-19 e 194 óbitos decorrentes da doença. Desde o início da pandemia, 169.183 pessoas perderam a vida para o novo coronavírus e 6.071.401 foram infectadas.

Mais lidas
Últimas notícias