Com casos em alta, coronavírus domina debate entre Covas e Boulos em SP

Candidatos a prefeito de São Paulo participam de debate promovido pela TV Band. Segundo turno é no dia 29 de novembro

atualizado 19/11/2020 23:50

Kelly Fuzaro/Band/Divulgação

São Paulo – Os casos de infecção e internação por coronavírus estão em crescimento em São Paulo e a pandemia virou o principal assunto do primeiro debate entre os canditados a prefeito Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSol) na TV aberta nesta corrida de segundo turno, promovido pela TV Band na noite desta quinta-feira (20/11).

Boulos, o desafiante, criticou a gestão da prefeitura na pandemia, com a cidade registrando mais de 14 mil mortos, e disse que o governador tucano João Doria transformou, com o presidente Jair Bolsonaro, a vacina contra a Covid-19 em uma questão político partidária. “Um espetáculo lamentável”, criticou.

O psolista disse ainda que é “no mínimo estranho” que o governo tenha adiado para depois da eleição a progressão da quarentena. “A prefeitura falhou no combate à pandemia. A zona leste, com população maior que a do Uruguai, não teve nenhum hospital de campanha”, criticou.

O candidato Boulos disse ainda que a cidade deveria ter apostado em testagem em massa e que fará isso se ganhar a eleição.

Respostas

O prefeito Bruno Covas disse que “é fácil ser engenheiro de obra pronta, difícil foi enfrentar a pandemia” e garantiu que ninguém ficou sem atendimento na cidade no período.

Para Covas, apesar dos cuidados que o governo do estado tem defendido em relação ao aumento de casos, “o pior da pandemia já passou. A gente enfrentou bem essa pandemia”.

O prefeito disse ainda que questões políticas não influenciam as ações. “Desde o primeiro instante da pandemia, a prefeitura tem seguido as recomendações da vigilância sanitária. E é assim que nós vamos continuar. Sem partidarizar essa questão. Vamos enfrentar essa realidade com seriedade”, garantiu.

Debate

“Aqui não há espaço para qualquer tipo de fake news, de que passada a eleição, vai haver lockdown em São Paulo. Nós vamos continuar a tratar a realidade da pandemia de acordo com a orientação da ciência”, concluiu o prefeito e candidato à reeleição.

Covas, ao falar do “engenheiro de obra pronta”, também disse que era fácil “para quem se omitiu no momento da pandemia, vir dizer o que a prefeitura deveria fazer”. A essa crítica, Boulos respondeu: “Durante o período mais grave da quarentena, eu estava em uma campanha de solidariedade que distribuiu toneladas de cestas básicas, máscaras e álcool em gel. Era isso que eu estava fazendo”.

0
O segundo turno em São Paulo

O instituto Datafolha divulgou no fim da tarde desta quinta-feira (19/11) sua primeira pesquisa de intenções de voto para o segundo turno na capital paulista. Segundo o levantamento, o prefeito e candidato à reeleição Bruno Covas tem 58% das intenções de votos válidos. O desafiante Guilherme Boulos ficou com 42%.

Na amostra que inclui votos nulos e eleitores indecisos, Covas tem 48% e Boulos, 35%. Brancos e nulos são 13% e 4% não sabem ou não responderam.

Nessa quarta, outro instituto, o Ibope, divulgou sua pesquisa de intenção de voto no segundo turno em São Paulo. No levantamento encomendado pela Rede Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo, o candidato Bruno Covas aparece na frente, com 47% das intenções de votos. Guilherme Boulos (PSol) somou 35%. Nos votos válidos, Covas teve 58% e Boulos, 42%, assim como no Datafolha.

Últimas notícias