SP: Boulos quer regularizar e transformar prédios abandonados em moradia

Candidato defende causa há 20 anos; na capital, há 700 prédios abandonados, 70 ocupados e 400 mil pessoas na fila

atualizado 07/11/2020 15:40

Fábio Vieira/Especial para o Metrópoles

São Paulo – Em campanha na Zona Sul, o candidato do PSol à prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos reafirmou seu compromisso com moradia popular, causa pela qual vem lutando há 20 anos. Questionado pelo Metrópoles se, caso eleito, teria condições de regularizar os 708 prédios abandonados no Centro, respondeu: “Sem dúvida”.

“Primeiro, a lei de regularização fundiária dá todas as condições para que a prefeitura possa regularizar, garantir documentos de áreas que estão, hoje, irregulares e já estabelecidas há muito tempo”, afirmou o candidato.

“Outra coisa em relação aos imóveis que estão abandonados: o estatuto da cidade e o plano diretor dão todas as condições para a prefeitura executar a desapropriação, retomar esses imóveis. Muitos deles devem mais IPTU do que o valor do próprio imóvel. E a partir disso requalificar e virar moradia popular”, acrescentou.

0

Segundo a Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento, são centenas de edifícios abandonados apenas na região central de São Paulo e 70 deles estão ocupados irregularmente por movimentos que lutam pelo direito à moradia, com eventuais desapropriações envolvendo a Polícia Militar. Na fila de espera por moradia, há cerca de 400 mil pessoas na capital paulista, de acordo com a Secretaria de Habitação.

Para Boulos, a prefeitura é a maior responsável pela habitação popular, e o cargo de prefeito é sua chance para realizar propostas que vem defendendo há décadas.

“Pela Constituição Federal, o tema da moradia é atribuição do município, mais do que da União e do Governo Estadual, então o município é aquele que tem mais prerrogativas para poder assegurar política habitacional, desapropriação, uso e ocupação do solo — e é isso que nós vamos fazer”, declarou o candidato.

Datafolha

Na corrida pela prefeitura, atual prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), consolidou sua liderança nas intenções de voto, segundo pesquisa do instituto Datafolha divulgada na quinta-feira (5/11). Covas agora tem 28%, contra 16% de Celso Russomanno, que caiu 4 pontos em relação ao último levantamento do instituto, divulgado em 22 de outubro. Covas tinha 23% e subiu 5 pontos.

Mantendo os 14% que tinha nessa rodada anterior, Boulos está empatado com Celso Russomano (Republicanos) tecnicamente. Márcio França (PSB) oscilou de 10% para 13% e está empatado com os dois.

Últimas notícias