Em primeiro debate em São Paulo, Covas ataca “inexperiência” de Boulos

Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSol) participam de primeiro debate na disputa pelo segundo turno na capital paulista

atualizado 16/11/2020 21:41

bruno covas debate candidatos prefeitura eleicoes sp 202010Rafaela Felicciano/Metrópoles

São Paulo – O prefeito e candidato à reeleição Bruno Covas (PSDB) inicia a campanha contra o oponente Guilherme Boulos (PSol) tentando transformar a eleição paulistana em uma disputa de currículos. No primeiro debate entre os dois antes do segundo turno, promovido na noite desta segunda (16/11) pela CNN Brasil, o tucano tenta expor fragilidades do psolista, dizendo que ele não tem experiência administrativa.

“Entendo a dificuldade do Boulos, porque, como chefe de movimento [social], ele está acostumado a mandar, mas ser prefeito é mais do que isso”, atacou Covas no primeiro bloco do debate ao comentar a promessa do adversário de criar um programa de transferência de renda.

Boulos respondeu dizendo que Covas traz elementos do bolsonarismo ao seu discurso. “Eu fiquei assustado com a raiva no seu discurso ontem [domingo], Bruno. Isso de criminalizar movimento social, de me chamar de extremista. Você não é assim”, provocou.

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto disse ainda que tem “muito orgulho da minha experiência em movimento social nos últimos 20 anos. Lá aprendi a ver as pessoas por suas trajetórias não como números, como estatísticas. A minha experiência é algo que nenhum cargo de secretário do PSDB traz”, discursou.

0
Resposta à pandemia

No debate na CNN, os candidatos a prefeito de São Paulo também debateram sobre a resposta à pandemia de coronavírus. Boulos disse que a reação foi péssima porque São Paulo teve mais mortos do que a China e disse que faria testagem em massa e isolamento só em áreas de focos da doença – se houver segunda onda do coronavírus.

O psolista lembrou de hospitais municipais que estão fechados nas áreas periféricas da cidades, onde a pandemia é mais letal.

Covas respondeu que “é fácil ser engenheiro de obra pronta, difícil foi enfrentar a pandemia” e que fez o que a ciência orientou.

O nome do governador João Doria (PSDB), que é padrinho de Bruno mas enfrente rejeição na capital, também foi debatido. Covas disse preferiria manter o debate nas propostas pela cidade e Boulos disse entender que ele queira esconder seu padrinho. O assunto deverá ser um dos tópicos da campanha.

Disputa pela prefeitura

Covas obteve 32,85% dos votos válidos (1.747.938) na eleição do último domingo (15/11) e Boulos, 20,24% (1.077.168 votos). Os dois disputam o voto dos paulistanos daqui a duas semanas, no próximo dia 29 de novembro, no segundo turno.

Veja o debate da CNN com Bruno Covas e Guilherme Boulos, candidatos a prefeito de São Paulo:

Mais lidas
Últimas notícias