*
 

A decretação da prisão do ex-presidente Lula, nesta quinta-feira (5/4), acirrou a corrida contra o tempo de aliados que tentam evitar a medida. Na manhã desta sexta (6), a defesa do ex-presidente entrou com pedido de habeas corpus junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para evitar o início da execução penal.

O time oficial de Lula, no entanto, não é o único que tenta garantir a liberdade do petista. Desde quarta, pelo menos outros sete HCs foram impetrados nas Cortes Superiores.

A maioria das ações está concentrada no STJ. Além do habeas corpus apresentado por Cristiano Zanin Martins, estão registrados outros quatro pedidos com o mesmo objetivo, impetrados entre quinta e sexta.

Os responsáveis pelas ações são os advogados Eduardo Junqueira Martins Godoy Oliveira, Rubens Martins de Godoy, Ênio Henrique Teixeira e Altair de Souza Melo. Esse último, inclusive, já teve o pedido indeferido pelo relator, ministro Felix Fischer.

Já no Supremo Tribunal Federal (STF), foram protocolados três habeas corpus contra a prisão de Lula. Os impetrantes são os advogados Gilberto Antônio Luiz, Rodrigo de Sá Libório e Adinaldo Martins.

O ministro relator desse último, Marco Aurélio Mello, também já se pronunciou sobre o pedido. Como já existia um HC em favor de Lula distribuído ao ministro Edson Fachin, ele indagou à Presidência da Corte se a ação deveria ficar sob a relatoria Fachin.

Não é incomum a “intromissão” de pessoas não ligadas à defesa oficial de Lula nos processos referentes ao petista na Justiça. O Metrópoles já mostrou que, após a condenação em segunda instância, pelo menos 11 pessoas acionaram o STJ e o STF com pedidos de habeas corpus que tinham o objetivo de impedir a prisão do ex-presidente. No entanto, nenhum foi bem-sucedido.

 

 

COMENTE

STFlulaSTJhabeas-corpus
comunicar erro à redação

Leia mais: Justiça