*
 

Ex-ministro do Supremo Tribunal Federal e advogado, Sepúlveda Pertence classificou o imbróglio sobre a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como uma “comédia judiciária”. Em entrevista ao jornal O Globo, ele afirmou que nunca presenciou um embate jurídico como o desse domingo (8/7), em que o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, contestou a decisão de Rogério Favreto, desembargador do Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF-4), que havia determinado a soltura do petista.

O advogado disse que, durante sua carreira, viveu “21 anos de ditadura no meio judicial” e nunca viu nada parecido. “A única situação semelhante que presenciei foi um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal e que um comandante de um dos exércitos hesitou em cumprir. O ministro do STF Álvaro Moutinho Ribeiro da Costa determinou que se cumprisse a ordem judicial sob pena das sanções cabíveis e assim foi feito”, disse em relação à postura de Sérgio Moro.

Pertence é um dos principais advogados de Lula, mas, de acordo com a reportagem, ele avalia se continuará na defesa do petista. Ele deve conversar sobre isso com Lula ainda nesta semana. Perguntado se tinha conhecimento sobre o pedido de habeas corpus impetrado pelos deputados federais Paulo Pimenta (PT-RS), Paulo Teixeira (PT-SP) e Wadih Damous (PT-RJ) e que gerou a confusão envolvendo seu cliente, ele afirmou apenas que foi uma iniciativa dos parlamentares.