Isolamento social: 84,9% dos idosos no Brasil não moram sozinhos

Entre a população acima de 60 anos, apenas 15,1% dos homens e 17,8% das mulheres vivem sozinhos, em todo o território nacional

Mãos de idosas em detalhesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 03/04/2020 21:36

Em meio a um debate sobre a efetividade do isolamento vertical no Brasil, dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que 84,9% dos idosos moram com outra pessoa, de origem familiar ou agregado. Entre a população acima de 60 anos, apenas 15,1% dos homens e 17,8% das mulheres vivem sozinhos, em todo o território nacional.

Segundo a pesquisa, 29% dos lares brasileiros tem, pelo menos, um idoso.

O governo federal tem estudado a possibilidade da criação de uma medida de isolamento vertical para combater o novo coronavírus. Com a proposta, apenas o grupo de risco – composto por idosos e portadores de doenças crônicas – ficariam em casa. Os demais deveriam retornar às atividades normalmente.

Porém, além de constatar que mais da metade dos idosos no Brasil não moram sozinhos, 30,6% vivem com filhos de 25 anos ou mais, na presença ou não de outros parentes ou agregados. Entre as mulheres, o número é ainda maior, com 33,3%.

A região com maior número de idosos em domicílios unipessoais é o Sul, com 16,9%. Entre os que estão acima de 60 anos, o motivo do isolamento de 33,5% é por não terem filhos.

Já os que vivem com filhos menores de 25 anos, o Norte lidera as pesquisas, representando 16,9% do idosos.

Idosos que não moram sozinhos no Brasil
Dados sobre idosos que não moram sozinhos no Brasil
O isolamento

De acordo com o Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde (OMS), o coronavírus é transmitido por pessoas infectadas por meio de superfícies e gotículas de saliva. Segundo especialistas, a Covid-19 é um problema de saúde pública, principalmente pelo fato de que dois terços dos doentes não apresentam sintomas. Ou seja, o vírus é transmitido sem que a pessoa saiba, sequer, que está infectada.

Foi com este argumento que países com o grande número de casos confirmados optaram por um isolamento social horizontal, para evitar a transmissão local do vírus e conter a doença. A medida foi proposta também pelo ministro da Saúde, Luiz Mandetta. 

Porém, pensando na economia do país, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) considera a possibilidade de reabertura do comércio e a volta das atividades, com exceção dos idosos. Com o desentendimento entre o mandatário e a pasta de saúde, ainda não foi decretado oficialmente pelo executivo nacional o formato do isolamento.

Últimas notícias