Internado na UTI, atirador de Paracatu tenta suicídio com bisturi

Rudson Aragão Guimarães permanece internado e sob escolta, destaca a prefeitura da cidade, em nota

ReproduçãoReprodução

atualizado 23/05/2019 21:07

Internado no Hospital Municipal de Paracatu, o empresário Rudson Aragão Guimarães, 39 anos, tentou suicídio nesta quinta-feira (23/05/2019). Ele matou a ex-namorada com um golpe de canivete no pescoço e abriu fogo contra fiéis de uma igreja evangélica na noite da última terça (21/05/2019).

Rudson se feriu em três partes do pescoço com uma lâmina de bisturi. “O paciente foi atendido pela equipe cirúrgica. Ele permanece internado e sob escolta”, destaca a Prefeitura de Paracatu, em nota. A automutilação ocorreu às 6h50 desta quinta-feira.

A direção do Hospital Municipal instaurou uma investigação administrativa, uma vez que o paciente, mesmo sob escolta de dois agentes da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), conseguiu ter acesso à lâmina.

“Em relatório apresentado pela superintendência administrativa do hospital municipal, consta a solicitação de transferência do referido paciente para serviço que tenha condições de garantir a integridade física do mesmo”, conclui o texto.

Rudson está sedado, respirando sem a ajuda de aparelhos e clinicamente estável. Ele continua internado na unidade de terapia intensiva (UTI).

Às 10h desta quinta, o hospital divulgou que Rudson teria alta. O atirador foi ferido pela Polícia Militar com tiros na mão e no ombro depois de invadir uma igreja evangélica.

Servidores da administração do hospital disseram que ele estava reagindo bem ao tratamento, como noticiou o Metrópoles. O assassino responderá por quatro homicídios qualificados por motivação fútil e uma tentativa de homicídio.

Nesta quinta-feira, os investigadores começaram a ouvir formalmente as testemunhas dos crimes, analisaram os resultados das perícias e fizeram novas diligências. Ainda falta saber a origem da arma usada nos assassinatos e o que motivou a ação.

Passo a passo do crime
Por volta das 20h dessa terça, Rudson foi à casa da mãe dele, onde também estava a ex-namorada Heloísa Vieira Andrade, 50. Lá, ele esfaqueou a mulher no pescoço com um canivete. Ela morreu a caminho do hospital, devido a uma parada cardiorrespiratória.

Minutos depois, Rudson invadiu a igreja. Ele atirou contra Rosângela Albernaz, 50, e Antônio Rama, 67, que não resistiram aos ferimentos e morreram. A intenção dele, segundo a polícia, era matar o pastor Evandro – mas, como este fugiu com a ajuda de fiéis, alvejou o pai dele por vingança.

Rudson ainda rendeu outra fiel e a manteve sob ameaça. A Polícia Militar chegou ao local da ocorrência e tentou negociar. Nervoso, ele disparou contra Marilene Marins de Melo Neves, 38, a quarta vítima.

O atirador é descrito como um homem temperamental, impulsivo e envolvido com drogas, uma pessoa de difícil convivência.

Empresário do ramo imobiliário, as pessoas mais próximas contam que ele vivia o momento de maior conforto financeiro. Apaixonado por animais e motos, muitos estranharam a arrancada violenta contra a ex-namorada.

Últimas notícias