De luto após massacre, igreja cancela culto desta quarta em Paracatu

No município mineiro, são poucos os moradores que se arriscam sair às ruas. Nessa terça-feira (21), homem matou ex-namorada e mais três

Andre Borges/ MetrópolesAndre Borges/ Metrópoles

atualizado 22/05/2019 17:08

Enviado especial a Paracatu (MG) – Menos de 24 horas após Rudson Aragão Guimarães, 39 anos, matar a ex-namorada e abrir fogo contra fiéis, a Igreja Batista Shalon permanece de portas fechadas. O culto realizado normalmente às quartas-feiras foi suspenso. Enquanto isso, os corpos das vítimas são velados há mais de cinco horas.

Na rua do templo religioso, moradores estão com portas e janelas fechadas. Ninguém comenta a tragédia ocorrida na noite dessa terça-feira (21/05/2019). Os poucos pedestres que transitam pelo local andam de cabeça baixa em sinal de descontentamento. Mesmo quando questionados sobre o caso, preferem não falar.

A igreja está com a entrada principal e a porta dos fundos trancadas. Por uma fresta, é possível observar dezenas de cadeiras plásticas organizadas em fileiras. Aparentemente, o local já foi limpo após o crime que chocou o município mineiro. O pastor da igreja, Evandro Rama, ainda não voltou ao local.

Veja imagens do velório após o crime que parou a cidade:

O responsável pelo templo era o principal alvo de Rudson. Segundo a Polícia Militar de Paracatu, quando o atirador chegou ao local, chamou pelo líder religioso. Como o homem não apareceu, ele atirou em outras pessoas que participavam de uma reunião, entre elas o pai do pastor, Antônio Rama, 67 anos.

Três pessoas morreram no ataque, após Rudson tirar a vida da ex-namorada Heloísa Vieira Andrade, 50 anos. O corpo dela foi levado para Uberlândia, cidade mineira distante 239km de Paracatu, onde será velado e sepultado.

Rudson foi ferido no pé, ao ser atingido por tiros da Polícia Militar. O quadro de saúde é estável e ele não corre risco de morrer.

Os sepultamentos de Marilene Marins de Melo Neves, 38 anos, Rosângela Albernaz, 50, e Antônio Rama, 67, pai do pastor Evandro, estão previstos para 17h desta quarta-feira (22/05/2019).

Entenda o crime
Por volta das 20h dessa terça-feira, Rudson foi até a casa da mãe dele, onde também estava a ex-namorada Heloísa. Lá, ele esfaqueou a ex-companheira no pescoço. Ela morreu a caminho do hospital com uma parada cardiorrespiratória.

Minutos depois, Rudson invadiu a igreja em busca do pastor. Ele atirou contra Rosângela e Antônio, que não resistiram aos ferimentos e morreram também por parada cardiorrespiratória.

Rudson ainda rendeu outra fiel e a manteve sob ameaça. A Polícia Militar chegou ao local da ocorrência e tentou negociar. Nervoso, ele disparou contra Marilene, a quarta vítima.

Vídeo mostra momento em que Rudson invade a igreja e atira contra fiéis:

 

Veja quem são as vítimas do ataque:

– Heloísa Vieira de Andrade
Ela era ex-namorada do atirador e morreu ao ser golpeada com um canivete no pescoço. Heloísa trabalhava como coaching, dava treinamentos em empresas e palestras. A vítima estava na casa dos familiares de Rudson quando foi morta.

Rosângela Albernaz
Era fiel da Igreja Batista Shalom e proprietária de uma lanchonete que fica a um quarteirão do local. Segundo a Polícia Militar, a vítima, de 50 anos, tinha duas filhas e estava na reunião junto com o marido quando ocorreu o ataque.

Antônio Rama
Aposentado, Antônio morreu aos 67 anos. Membro da igreja e pai do pastor Evandro Rama, que celebrava o culto na hora do crime. Com base em informações da PM, o atirador entrou na Igreja Batista Shalom procurando pelo líder religioso e atirou contra o pai dele por vingança.

Marilene Marins de Melo Neves
Fiel da igreja, Marilene trabalhava como serviços gerais na Escola Municipal Coraci Meireles e auxiliava na cantina da Creche Domingas de Oliveira. Ela era casada, tinha filhos e um neto.

 

Últimas notícias