Luiza Erundina retoma campanha de rua e inaugura o “Erundinamóvel”

Vice na chapa de Boulos, deputada federal vinha se preservando do corpo a corpo por estar no grupo de risco ao coronavírus

atualizado 31/10/2020 19:09

Luiza ErundinaFábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – Candidata a vice de Guilherme Boulos na chapa do PSol na disputa pela Prefeitura de São Paulo e com 85 anos, a deputada federal Luiza Erundina voltou a fazer campanha nas ruas neste sábado (31/10), no Grajaú, zona sul da capital. Ela vinha se preservando do corpo a corpo por estar no grupo suscetível ao coronavírus.

Sua chegada foi anunciada pelo companheiro de chapa, Guilherme Boulos, que reuniu a militância jovem do PSol em volta de um carro de som na esquina da rua Demas Zitto com a Estrada Canal de Cocaia. Entre os apoiadores ilustres presentes, estava o deputado federal Ivan Valente.

“A partir de hoje até o dia 15 de novembro nós vamos estar assim na rua. No fim da pandemia e com a vitória, a gente vai se abraçar”, cumprimentou Luiza Erundina de dentro do seu “Erundinamóvel”, caminhonete adaptada com uma casinha de acrílico que abriga a deputada.

Com a transformação veicular, Erundina agora passeará pelas periferias em busca de “catar votos” de indecisos e de conquistar os inseguros.

“Já fiquei tempo demais em casa. Que saudades, querida. Que saudades, meu irmão! Que saudades, Grajaú”, disse a candidata visivelmente emocionada sob os aplausos da militância psolista.

A presença da deputada chamou a atenção das pessoas nos mercados e nas linhas de ônibus da região. A visão, porém, ficou prejudicada pela presença significativa da militância que cercou o veículo.

Com o início da carreata, no entanto, Luiza Erundina ficou livre para ser cumprimentada pela população. “A senhora foi meu primeiro voto”, gritou um apoiador mais velho. “Ó, a véinha tirando onda”, disse um rapaz esperando ônibus, sorrindo pela cena atípica.

0

A carreata teve trajeto longo: saindo do Parque da Cocaia foi até a Vila Progresso e, de lá, seguiu para o Terminal Varginha, em Parelheiros. A reportagem contou cerca de 50 carros no início do trajeto, que foram minguando à medida que uma forte chuva caiu sobre a região.

Embalados por um novo jingle, um forró pisadinha, Boulos e Erundina não pouparam críticas para Celso Russomanno (Republicanos). “Ele está desesperado. O povo de São Paulo não vai cair na conversa dele, por isso está usando a máquina das fake news do Bolsonaro para tentar nos atacar, mas nós vamos virar esse jogo”, afirmou Guilherme Boulos.

O candidato se refere à estratégia do candidato republicano em mirar ataques no ativista como forma a estancar seu derretimento nas pesquisas e ir ao segundo turno.

Segundo a pesquisa Ibope mais recente, Russomanno ainda tem a preferência de 20% do eleitorado, sete pontos percentuais acima de Guilherme Boulos (13%). Russomanno vai melhor do que Boulos entre pessoas negras, evangélicos e com menor escolaridade.

Em rua repleta de cabos eleitorais do candidato a vereador Milton Leite (DEM), que estampa bandeiras e banners ao lado de Ricardo Nunes (MDB), vice de Bruno Covas (PSDB), Luiza Erundina provocou: “A vida tá boa, Grajaú? Os ônibus estão bons? Tem bastante linha? As creches tão bonitas e bem cuidadas? Que pena”, falou a vice se referindo aos cortes de linhas na região e aos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) em péssimo estado, ainda que administrados por organizações sociais.

“Para o Doria e para o Bruno Covas, São Paulo termina no Rio Pinheiros”, afirmou Boulos.

A presença da candidata na carreata atraiu a simpatia e a curiosidade da população, mas também enfrentou a animosidade de adversários. Houve manifestações pontuais de motoristas de veículos que encontraram a carreata e se manifestaram contrários à chapa PSolista. A reportagem presenciou gritos de “Bolsonaro 2022” e “Fora invasor”.

Últimas notícias