“As pessoas não estão querendo comparar vices”, afirma Bruno Covas

Prefeito e candidato à reeleição em São Paulo foi questionado sobre ausência de Ricardo Nunes em debates e sabatinas

atualizado 28/11/2020 16:22

Bruno Covas (PSDB), candidato à reeleição durante visita e eleitores em são paulo eleicoes 2020 SPFábio Vieira/Especial Metrópoles

São Paulo – No último dia de campanha, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), teve mais uma vez que defender o seu vice na chapa, o vereador Ricardo Nunes (MDB). Neste sábado (28/11), o candidato tucano à reeleição foi questionado por jornalistas sobre a recusa de Nunes em participar de sabatinas e debates com Luiza Erundina, vice do adversário Guilherme Boulos (PSol).

“O candidato sou eu, portanto, eu que falo pelo programa de governo. Ele (Nunes) esteve à disposição de vários jornais que o entrevistaram. Eu também, quando fui candidato a vice-prefeito, não participei de nenhum debate”, disse.

Nunes foi um dos alvos de críticas exploradas pela campanha de Boulos. Acusado de violência doméstica, injúria e ameaça feitas, em 2011, contra sua esposa, Regina Carnovale, o vereador também é investigado pelo Ministério Público sobre suposto superfaturamento no aluguel de creches privadas que mantêm convênio com a Prefeitura de São Paulo.

“As pessoas aqui não estão querendo comparar vices, não estão querendo comparar apoios, estão querendo saber exatamente quem são os dois candidatos a prefeito. É assim que a gente se comportou, porque eu é que vou governar a cidade nos próximos quatro anos”, acrescentou Covas.

“Boulos não é meu inimigo”

Em balanço das campanhas que disputam o segundo turno, o prefeito elogiou o tom dos debates com o adversário. “Quando a gente viu o debate, por exemplo, do [Donald] Trump e do [Joe] Biden, acho que foram debates muito mais civilizados. A população espera isso. O candidato Guilherme Boulos é meu adversário, ele não é meu inimigo. Não quero mal a ele, não há nenhum problema pessoal”, afirmou.

0

Últimas notícias