Câmara de Goiânia passa por desinfecção após surto de Covid-19

Prédio da Câmara Municipal de Goiânia passa por sanitização contra o coronavírus. Sede está fechada há dias. Vereadores perderam familiares

atualizado 02/03/2021 21:16

Desinfecção da Câmara de Vereadores de Goiânia (Covid-19)Divulgação

GoiâniaDepois de uma sequência de mortes de familiares de vereadores em decorrência da Covid-19 e do agravamento dos casos da doença na capital goiana, a Câmara Municipal de Goiânia passa por uma desinfecção nesta terça (2/3) e quarta-feiras (3). As imagens do procedimento de sanitização foram feitos pela própria empresa de limpeza, já que, por segurança, não foi autorizada a captação de imagens próprias no local. A sanitização do prédio está entre as medidas adotadas para evitar a proliferação do novo coronavírus.

Na última quarta-feira (24/2), o presidente da Casa, vereador Romário Policarpo (Patriota), já havia suspendido todas as atividades legislativas e administrativas no local. A previsão da retomada das atividades é na próxima sexta-feira (5/3), em meio expediente e com quadro de pessoal reduzido. Nesta data, também está prevista a volta dos vereadores ao plenário, com possibilidade de participação remota. As unidades administrativas funcionarão com 30% da capacidade de ocupação (das 7 às 13h), e os gabinetes, com 50%.

A suspensão das atividades na Câmara seguiu recomendação do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) da Casa, que, até meados de fevereiro, havia identificado 75 casos de Covid-19 confirmados entre 1,1 mil servidores e 130 jovens aprendizes.

Tentativas

No dia 16/2, a Câmara Municipal de Goiânia já havia anunciado o endurecimento das regras de circulação de pessoas no local. A decisão foi um dia após o Hospital de Campanha de Goiânia (HCamp) atingir, pela primeira vez, 100% de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19.

Na ocasião, foi determinado o fechamento de galerias para visitantes e tribunas destinadas a assessores parlamentares e à imprensa, por tempo indeterminado.

0
Mortes

O vereador de Goiânia Nataniel de Sena Soares, mais conhecido como Cabo Senna (Patriota), perdeu a mãe e um irmão, no dia 10/2, ambos vítimas da Covid-19. As mortes ocorreram na capital goiana e com menos de 4 horas de diferença entre si. O óbito da idosa foi registrado durante a madrugada do dia 10; o do filho dela, durante a manhã do mesmo dia.

Dias depois, no dia 18/2, Senna também perdeu o pai para a Covid-19. Segundo a assessoria de imprensa do vereador, ao todo nove pessoas da família foram contaminadas pelo novo coronavírus. Quem estava em situação mais delicada eram Eduardo Sena, pai do vereador, e um dos irmãos, Rogério Sena, que recebeu alta no dia da morte do senhor Eduardo.

Outro vereador, Lucas Ferreira Pires Bueno, mais conhecido como Lucas Kitão (PSL), também perdeu o pai. Emival Bueno morreu por complicações da Covid-19 em 13/2, dia que completaria 64 anos.

Restrições

Com o avanço do número de casos, óbitos e ocupação de leitos por pacientes com Covid-19, a Prefeitura de Goiânia e outros 19 municípios da região metropolitana decretaram restrições severas, com o fechamentos das atividades não essenciais por sete dias. A medida está em vigor desde segunda-feira (01/2) e deve ser reavaliada após o fim do período estabelecido. 

As medidas serão reavaliadas considerando, por exemplo, a taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid. Apenas se esse índice não ultrapassar 70% por cinco dias consecutivos, as restrições poderão ser revistas para uma possível retomada da normalidade a atividades econômicas.

A fiscalização deve endurecer ainda mais nesta semana, já que uma força-tarefa da prefeitura intensificou os trabalhos para flagrar desrespeito às restrições mais severas decretadas para diminuir a circulação de pessoas na cidade. Só nessa segunda-feira (1º/3), 36 estabelecimentos foram notificados.

Últimas notícias