Brasil proíbe entrada de viajantes da África do Sul para barrar variante da Covid-19

A medida que já valia para voos vindos do Reino Unido foi estendida pelo governo federal, por meio de portaria

atualizado 26/01/2021 8:46

Aeroporto JKRafaela Felicciano/Metrópoles

O governo brasileiro publicou, nesta terça-feira (26/1), portaria que restringe, em caráter excepcional e temporário, a entrada de mais estrangeiros no país em função da pandemia. A medida, que já valia para pessoas vindas do Reino Unido, agora se estende aos moradores da África do Sul.

A decisão foi tomada, entre outros fatores, para evitar o impacto que a nova variante do coronavírus, identificada no Reino Unido e na África do Sul, pode causar no cenário atual vivenciado no país, que já enfrenta a segunda onda da contaminação pela doença.

A partir de agora, estão proibidos voos internacionais vindos de ambas as regiões.

Levantamento feito pelo (M) Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, mostra que entre as UFs mais atingidas pela segunda onda de Covid-19, até o momento, o Amazonas (AM) é o que mais chama a atenção. A unidade federativa esteve nas manchetes de jornais de todo o país em razão do colapso no sistema de saúde, quando chegou a faltar oxigênio hospitalar para pacientes internados com a doença. A média móvel de mortes no estado está acima de 100 desde 20 de janeiro e é a maior já observada no local.

Além do Amazonas, também estão nessa situação Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul. O recrudescimento na quantidade de óbitos fez com que Belo Horizonte, capital mineira, voltasse a fechar todo comércio não essencial, assim como ocorrido durante a primeira onda.

A portaria publicada nesta terça mantém ainda a restrição da entrada no país de estrangeiros de qualquer nacionalidade, por rodovias, por outros meios terrestres ou por transporte aquaviário.

Art. 3º As restrições de que trata a portaria não se aplicam ao:

I – brasileiro, nato ou naturalizado;

II – imigrante com residência de caráter definitivo, por prazo determinado ou indeterminado, no território brasileiro;

III – profissional estrangeiro em missão a serviço de organismo internacional, desde que identificado;

IV – funcionário estrangeiro acreditado junto ao Governo brasileiro; e

V – estrangeiro:

a) cônjuge, companheiro, filho, pai ou curador de brasileiro;

b) cujo ingresso seja autorizado especificamente pelo Governo brasileiro em vista do interesse público ou por questões humanitárias; e

c) portador de Registro Nacional Migratório; e

VI – transporte de cargas.

Últimas notícias