Biden reimpõe restrições a viajantes do Brasil, Reino Unido e países da Europa

Antes de deixar o cargo, Trump anunciou a retirada das restrições de entrada de viajantes brasileiros nos Estados Unidos a partir de 26/1

atualizado 25/01/2021 10:18

Joe Biden em discurso de posseRob Carr/Getty Images

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, vai reimpor nesta segunda-feira (25/1) uma proibição de entrada a quase todos os viajantes não americanos que estiveram no Brasil, Reino Unido, Irlanda e 26 países da Europa que permitem viagens através de fronteiras abertas. A informação foi confirmada por autoridades de saúde pública dos EUA à agência Reuters.

Pouco antes de deixar o cargo, o ex-presidente Donald Trump anunciou, em 18 de janeiro, a retirada das restrições de entrada de viajantes brasileiros nos Estados Unidos a partir da próxima terça-feira (26/1).

Já se sabia que a decisão de Trump não seria seguida pelo sucessor. Logo depois do anúncio, a então futura secretária de Imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, disse no Twitter que ela seria revogada.

As restrições americanas que impedem a maioria dos visitantes da Europa estão em vigor desde meados de março, quando Trump assinou proclamações que as impõem, enquanto a proibição de entrada do Brasil foi imposta em maio.

Variante da África do Sul

Biden também vai impor uma proibição à maioria dos cidadãos não americanos entrando no país que estiveram recentemente na África do Sul, buscando conter a propagação de uma nova variante de Covid-19.

Segundo a agência, algumas autoridades de saúde estão preocupadas que as vacinas atuais possam não ser eficazes contra a variante da África do Sul, o que também aumenta a perspectiva de reinfecção.

A variante sul-africana, também conhecida como variante 501Y.V2, é 50% mais infecciosa e foi detectada em pelo menos 20 países. Funcionários do Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) disseram que estariam abertos para adicionar outros países à lista, se necessário.

A variante sul-africana ainda não foi encontrada nos Estados Unidos, mas pelo menos 20 estados americanos detectaram uma variante do Reino Unido conhecida como B.1.1.7. As vacinas atuais parecem eficazes contra as mutações do Reino Unido.

Com as novas restrições, a maioria dos cidadãos não americanos que estiveram em um desses países nos últimos 14 dias não estão qualificados para viajar para os Estados Unidos.

Joe Biden tomou posse como 46º presidente dos EUA na última quarta-feira (20/1). Ele optou por adotar uma linha agressiva para combater a propagação do vírus em viagens depois que Trump rejeitou as ordens solicitadas pelas agências de saúde dos EUA.

0

Mais lidas
Últimas notícias