Bolsonaro faz live para denunciar “fraude eleitoral”

Presidente da República convoca equipe para apresentar indícios que tem usado para questionar eleições e defender o voto impresso

atualizado 29/07/2021 21:10

Reprodução

Após meses de seguidos questionamentos sobre o sistema eleitoral brasileiro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) promoveu nesta quinta-feira (29/7) uma “demonstração dos indícios” em que se baseia para dizer que o pleito de 2014 foi roubado para favorecer a petista Dilma Rousseff.

Bolsonaro convocou integrantes do primeiro escalão do governo, como o ministro Anderson Torres, da Justiça, para apresentar as informações ao vivo na transmissão pelas redes sociais e também para um grupo de jornalistas credenciados pelo Palácio do Planalto.

Porém, após gerar muita expectativa em torno da promessa de divulgação de provas de fraude eleitoral no Brasil, Bolsonaro usou a live para fazer uma defesa enfática da adoção do voto impresso e apenas requentou denúncias já desmentidas que circulam pela internet.

E acabou por reconhecer: “Não tem como se comprovar que as eleições não foram ou foram fraudadas”.

Veja como foi a transmissão ao vivo:

A apresentação das provas já foi cobrada até pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que Bolsonaro aponta como local onde a suposta fraude ocorreria, quando os votos das urnas eletrônicas são contados.

Em entrevista recente à rádio Itatiaia, o mandatário do país afirmou que um “hacker do bem” faria apresentação à imprensa com “fotografia minuto a minuto”.

“Eu só consegui ser eleito porque tive muito voto. Se fosse uma votação normal, bigode a bigode, como diz na gíria, a gente teria perdido as eleições. Eu vou comprovar que Aécio Neves ganhou as eleições de 2014”, disse o presidente.

“Pessoal, presta atenção. É sério o que vou falar aqui. Tem muita gente filmando, então tem repercussão. Lá atrás, no passado (tô com 66 anos), sempre se buscava aí fraudar, de uma forma ou outra, as eleições, no papel, botando mesário pra contar favorável a ele, anulando votos que interessavam… Porque é luta do poder. Hoje em dia, mudou. É de cima para baixo. A fraude está no TSE [Tribunal Superior Eleitoral], para não ter dúvida“, reforçou o presidente da República no último dia 9 de julho.

Últimas notícias