Bolsonaro sobre foto com deputada alemã: “Não pode ligar pai a filho”

Presidente se reuniu com parlamentar de partido que é investigado por propagar ideias extremistas e neonazistas

atualizado 29/07/2021 13:43

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu a deputada Beatrix von Storch, vice-líder do partido Alternativa para a Alemanha. Grupo é acusado de propagar ideias neonazistas.Reprodução/Instagram

Na manhã desta quinta-feira (29/7), durante conversa com os apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) justificou o encontro com a deputada alemã Beatrix von Storch. Ela é vice-líder da legenda Alternativa para a Alemanha (AfD), investigada por propagar ideias extremistas e neonazistas.

Bolsonaro disse que não “se pode ligar um pai a um filho”.

“Semana passada, tinha um deputado chileno e a alemã visitando a presidência. Poxa, tratei (bem), conversei, bati um papo. Saiu que a deputada alemã é neta do ex-ministro do Hitler. Me arrebentaram na imprensa. Eu acho que a gente não pode ligar um pai a um filho. Muitas vezes um fez uma coisa errada e não se pode ligar a outro”, disse o presidente.

O presidente afirmou que, nos regimes comunistas, quando não se encontrava o homem acusado de algum crime, acusavam algum familiar. “Eu não posso receber essa deputada? Foi eleita democraticamente na Alemanha. Se eu for ver a ficha de cada um para ser atendido, vai demorar horas para atender”, completou o chefe do Executivo nacional.

Reunião com deputados bolsonaristas

Beatrix também se reuniu com a deputada Bia Kicis (PSL-DF) e com um dos filhos do presidente, o também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). “Somos unidos por ideais de defesa da família, proteção das fronteiras e cultura nacional”, escreveu Eduardo em um post ao comentar o encontro.

Em foto publicada ao lado da parlamentar alemã, no dia 22/7, Bia Kicis celebrou a união e a semelhança de pautas defendidas.

O Museu do Holocausto comentou o encontro de Kicis pontuando que a Alternative für Deutschland (Alternativa para a Alemanha) “é um partido político alemão de extrema direita, fundado em 2013, com tendências racistas, sexistas, islamofóbicas, antissemitas, xenófobas e forte discurso anti-imigração”.

A deputada alemã também foi recebida pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, na última quinta-feira (22/7), conforme registros divulgados pela própria pasta.

Em sua defesa, Pontes disse que a reunião foi agendada por solicitação da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) porque o irmão da deputada é astronauta como ele.

Mais lidas
Últimas notícias