Cariocas dão como bem-sucedida operação policial em Jacarezinho

O índice é maior na cidade do Rio, embora bastante alto no Estado

atualizado 13/07/2021 5:52

Porta de comércio com marca de tiros Foto: Aline Massuca/Metrópoles

Pesquisa que ouviu mil habitantes no Estado do Rio de Janeiro, aplicada no início de junho último por um instituto de credibilidade reconhecida, é guardada a sete chaves por autoridades e estudiosos que tiveram acesso aos seus resultados.

Três afirmações foram propostas para que os entrevistados respondessem se concordavam ou não com elas.

O Rio de Janeiro é um estado dividido em territórios onde milícias usam o terror para exercer sua autoridade.

Respostas: 73% concordaram; 11% nem concordaram nem discordaram; 8% discordaram; 8% disseram não saber.

Como aconteceu com o Primeiro Comando da Capital (PCC) em São Paulo, o que se vê no Rio é a busca pela hegemonia da governança criminosa.

Respostas: 58% concordaram; 14% nem concordaram nem discordaram; 9% discordam; 19% disseram não saber.

A operação da polícia na comunidade do Jacarezinho foi bem-sucedida.

Respostas: 48% concordaram; 24% nem concordaram nem discordaram; 24% discordaram; 4% disseram não saber.

Na cidade do Rio, 55% dos entrevistados responderam que a operação da polícia no Jacarezinho foi bem-sucedida.

No dia 6 de maio último, fortemente armados e com o apoio de helicópteros, 200 policiais invadiram Jacarezinho, favela da zona norte do Rio, para prender traficantes de drogas.

Não tinham mandado de buscas. Dispararam uma quantidade incalculável de tiros. Saldo da operação: 28 mortos, sendo 27 moradores e um policial; a maior chacina da história do Rio.

A Polícia Civil pôs os documentos referentes à operação em sigilo por 5 anos. Com a decisão, os nomes dos policiais envolvidos na operação contra o tráfico de drogas não serão divulgados.

O presidente Jair Bolsonaro parabenizou a Polícia Civil.