Frases do dia
Frase do dia

Fernando Haddad explica Bolsonaro

Entrevista do Metrópoles com Fernando Haddad

“Bolsonaro é uma espécie de recidiva de vários problemas insepultos da história do Brasil. Uma história marcada pela escravidão, patriarcalismo, patrimonialismo, sexismo, misogenia, racismo. Uma história social trágica que se expressa na violência extrema”. (Fernando Haddad)

Frase do dia

Fernando Henrique Cardoso vota em Lula contra Bolsonaro

“E se ficar entre Lula e Bolsonaro, temos de escolher entre um dos dois. Da última vez, eu não escolhi. Desta vez não vou fazer isso. É preciso escolher. E eu não vou escolher o Bolsonaro.” (Fernando Henrique Cardoso, PSDB, ex-presidente da República)

Frase do dia

Renan Calheiros Filho parte para o ataque contra Bolsonaro

Renan Filho_governador de Alagoas

“Acuado pela investigação na CPI e despencando em popularidade, Jair Bolsonaro mostra desespero em visita a Alagoas, ataca pessoas e o Congresso Nacional. Respeito às instituições e à democracia não está entre suas características”. (Renan Calheiros Filho, governador de Alagoas)

Frase do dia

Omar Aziz enquadra Marcelo Queiroga

Omar Aziz e Randolfe Rodrigues falam com a imprensa após o fim da segunda reunião da CPI da Covid 1

“O ministro da Saúde vai ter que voltar aqui, porque mentiu muito, mentiu demais, mentiu até mais do que você” (Omar Aziz, PSD-Amazonas, senador, presidente da CPI da Covid, ao dirigir-se a Fábio Wajngarten, ex-Secretário de Comunicação do governo Bolsonaro, que depôs ontem)

Frase do dia

Barra Torres sai em defesa das vacinas

Almirante Barra Torres, presidente da Anvisa chega ao Palácio do Planalto 7

“No meio militar o que causa mais irritação é o cidadão que quer ser algo que não é. […] Conclamo a população que acredite e confie nas vacinas aprovadas pela Anvisa”. (Barra Torres, presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, em depoimento no Senado à CPI da Covid)

Frase do dia

Edson Fachin alerta para populismo autoritário

“O populismo totalitário ronda a democracia brasileira. É fundamental esse alerta, porquanto é antessala do golpe. O mais grave é essa visão personificada do povo em contraste com as instituições. Precisamos sair da crise sem sair da democracia”, (Edson Fachin, ministro do STF)

Frase do dia

Dom Walmor Oliveira de Azevedo

Vacina da Pfizer contra a Covid-19 no Rio

“A crise não foi tratada com seriedade. Pouco se ouviu a comunidade acadêmico-científica. Faltou diálogo e cooperação com países e instituições na vanguarda da pesquisa sobre imunizantes”. (Dom Walmor Oliveira de Azevedo, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil)

Frase do dia

Papa Francisco quer vacina de Covid para todos

Papa Francisco

“Uma variante desse vírus é o nacionalismo fechado, que impede, por exemplo, a internacionalização das vacinas. Outra é quando colocamos as leis do mercado ou do mercado intelectual ou da propriedade intelectual acima das leis do amor e da saúde da humanidade”. (Papa Francisco)

Frase do dia

João Dória vira jacaré depois de receber vacina da Covid

Joao Doria brinca de virar jacaré após ser vacinado

“Esperei minha vez, entrei na fila do posto de saúde e fui vacinado aos 63 anos. E não virei jacaré kkk”. (João Doria, PSDB, governador de São Paulo, zombando do que disse um dia Bolsonaro sobre os riscos da imunização)

Frase do dia

Bolsonaro sai em defesa da cloroquina e ivermectina

comprimidos em fundo azul

“Canalha é aquele que critica a cloroquina, ivermectina e não apresenta alternativa. Isso é um canalha, é um canalha. Não posso falar outra coisa de quem age dessa maneira”. (Jair Bolsonaro, que finge não saber que a única alternativa que existe para combater a Covid é a vacina)

Frases do dia
  • São Paulo – O ex-prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi enterrado no início desta noite, em Santos (SP), sua cidade natal. Ele faleceu neste domingo (16/5), vítima de câncer, aos 41 anos.

    O corpo de Covas saiu de São Paulo e foi levado por um carro do serviço funerário paulistano até Santos. Ele foi sepultado no jazigo da família, no Cemitério do Paquetá, onde está enterrado há 20 anos o avô, o ex-governador Mário Covas, também vítima de câncer.

    O enterro, reservado a familiares e amigos próximos, começou às 17h50 e durou cerca de 30 minutos, segundo informações da necrópole.

    O município da Baixada Santista decretou luto oficial por três dias. “Bruno nos deixa o exemplo de superação, de admirável espírito público e de amor à vida e às pessoas”, declarou o prefeito Rogério Santos (PSDB).

    Após o velório, no início da tarde, o corpo do ex-prefeito percorreu em cortejo por algumas das principais ruas de São Paulo. Ele recebeu aplausos e a homenagem de militantes (confira fotos abaixo).

    Covas é o primeiro prefeito da capital paulista a morrer durante o mandato. Quem assume o comando de São Paulo é o vice Ricardo Nunes (MDB), que ocupava o cargo temporariamente desde 2 de maio.

    Um dia de homenagens

    O corpo de Covas chegou ao Edifício Matarazzo, sede da prefeitura, no centro, às 13h12, sob aplausos de populares. A breve cerimônia pública foi restrita a pessoas próximas.

    O velório, marcado pela celebração de uma missa, aconteceu no hall monumento do prédio, localizado no terceiro andar.

    O caixão com o corpo do ex-prefeito deixou o hospital Sírio-Libanês, onde estava internado desde 2 de maio, no começo desta tarde. Sua morte foi confirmada às 8h20 desta manhã. Populares acompanharam do lado de fora o último adeus a Covas.

    A prefeitura pediu que a população evitasse aglomerações, como mandam os protocolos contra a Covid-19.

    Como foi a missa

    Iniciada às 13h37, a missa de despedida do ex-prefeito Bruno Covas durou cerca de 40 minutos. Conduzida pelo padre Rosalvino, amigo da família há décadas, a cerimônia contou com a presença de menos de 20 pessoas.

    Entre os convidados estavam os pais de Covas, Pedro Lopes e Renata Covas, o filho Tomás, de 15 anos, e Ricardo Nunes (MDB), vice-prefeito que assumirá a gestão da cidade.

    Durante a missa, o pároco recordou a memória dos avós de Bruno Covas, o ex-governador Mário Covas, vítima de câncer em 2001, e Lila Covas, falecida em março de 2020.

    “Missão cumprida, missão encerrada. Guerreiro, honesto como o avô Mário Covas. Na hora da firmeza, usou a firmeza. Na hora da tranquilidade e da simplicidade, ele usou também essas ferramentas”, disse Rosalvino.

    Às 14h34, o corpo de Covas deixou o local com as bandeiras da cidade, do estado de São Paulo e do Brasil colocadas sob o caixão.

    0

    Veja o vídeo:

    Histórico político

    Eleito vice-prefeito de São Paulo em 2016, Covas assumiu a gestão em abril de 2018, após João Doria (PSDB) disputar e vencer a eleição para governador. Bruno Covas se reelegeu em novembro de 2020, depois de superar seu adversário, Guilherme Boulos (PSol), com 59,38% dos votos dos eleitores paulistanos.

    Seu primeiro cargo na política foi como deputado estadual por São Paulo, em 2006. Ele se reelegeu para o segundo mandato em 2010, com a maior votação do estado. Covas também foi secretário de Meio Ambiente e deputado federal. A vida política de Bruno Covas foi ligada ao PSDB, partido fundado por seu avô.

    Ele se filiou ao partido aos 18 anos, onde foi secretário, presidente estadual e presidente nacional da juventude tucana. Em 2004, iniciou a carreira política ao se candidatar vice-prefeito de Santos, mas perdeu as eleições.

    Percurso do cortejo com o corpo do ex-prefeito Bruno Covas:

    – Edifício Matarazzo
    – Viaduto do Chá
    – Praça Ramos de Azevedo
    – Rua Conselheiro Crispiniano
    – Largo Paissandu
    – Avenida São João
    – Avenida Ipiranga
    – Rua da Consolação
    – Túnel José Roberto Fanganiello Melhem
    – Avenida Paulista
    – Praça Oswaldo Cruz

Charges
Enquetes
Últimas do Blog