Quer perder peso? Aprenda a reconhecer um alimento saudável de verdade

Veja alguns conselhos fáceis para aprender a ler rótulos dos produtos que consome e não cair em armadilhas

atualizado 05/02/2021 21:54

Anna Shvets/Pexels

Você já se sentiu traído por um alimento, consumindo um produto por anos acreditando ser bom para o organismo e, depois, descobrir que de saudável não tem nada? Pois é. Isso é muito comum, pois grande parte das pessoas não sabem ler ou identificar rótulos sem orientação de um nutricionista.

Existem algumas dicas que facilitam e ajudam a dar uma noção do que se trata, até mesmo para fazer comparações antes de escolher. Para se certificar se o alimento/produto alimentício é saudável, siga o seguinte passo a passo:

1. Leia o rótulo: a lista de ingredientes vem em ordem decrescente, ou seja, os itens citados primeiro na lista de ingredientes são os que estão presentes em maior quantidade.

2. Evite produtos com lista de ingredientes muito longas: na maioria dos casos, quando aparece uma lista imensa e com nomes estranhos, trata-se de algo ultraprocessado, com alta carga de açúcar, sal, gorduras, conservantes e vários aditivos químicos malefícios para a saúde. É por isso que eles sobrevivem um longo período na prateleira do supermercado. Eles são os grandes responsáveis pela pandemia de obesidade no mundo, e devem ser evitados.

3. Corra de alimentos com muitos aditivos químicos: algumas substâncias químicas, como glutamato monossódico, nitrito, nitrato, tartrazina, corante caramelo, sulfito, bht e bha, merecem muita atenção, pois podem ser muito prejudiciais à saúde. Glutamato monossódico é um realçador de sabor que já foi apontado como um dos causadores de distúrbio de déficit de atenção em crianças. Fora que os corantes artificiais costumam ser alergênicos.

4. Fique de olho no açúcar mascarado nos rótulos: a indústria disfarça o nome do açúcar com outras substâncias com mesma característica ou, às vezes, até pior. Alguns exemplos são maltodextrina, sacarose, maltose, frutose, dextrose, xarope de glicose, xarope de frutose, xarope de guaraná, malte e açúcar invertido.

5. Tchau, enlatados: eles podem parecer mais práticos no dia a dia, porém, custam caro se ingeridos com alta frequência. Além do mais, são facilmente contaminados por metais pesados, como o alumínio. Seu acúmulo no organismo pode trazer muitos prejuízos ao metabolismo, alterações no sistema hormonal, hepático, neurológico e intestinal. Fora que aumentam as toxinas e a resposta inflamatória do corpo.

(*) Thaiz Brito é nutricionista pós-graduanda em Nutrição Esportiva Clínica

Últimas notícias