Engorda? É saudável? Tudo o que não te contaram sobre a tapioca

Uma dica: a tapioca definitivamente não combina com emagrecimento

atualizado 09/11/2020 11:15

Tapioca Café e um ChêroDivulgação

A tapioca sempre esteve presente no prato do brasileiro e, há alguns anos, ganhou muito espaço com o público fitness. Mas seria ela tão saudável quanto se imagina?

O ingrediente branquinho consiste em nada menos que a fécula da mandioca (ou polvilho) hidratada, ou seja, com adição de água. Como um subproduto da mandioca, trata-se de um amido pobre em nutrientes e fibras.

Carboidrato puro, a tapioca é diferente, por exemplo, da farinha de mandioca, que ainda contém fibras. Para a preparação de um disco médio, usamos uma quantidade razoável de polvilho. Isso resulta em um prato com um alto índice e carga glicêmica, tornando-o contraindicado para diabéticos e indivíduos com resistência à insulina.

Para diminuir a carga glicêmica da tapioca, uma dica seria adicionar uma fonte de proteína, ou até mesmo reduzir a quantidade de polvilho. Um exemplo seria a crepioca, que leva uma pequena quantidade de polvilho com ovo, tornando o valor nutricional bem mais interessante.

É melhor comer cuscuz!

O polvilho, por ser uma fécula, não contém fibras e é um alimento com um baixíssimo valor nutricional, podendo ser considerado inferior, inclusive, à farinha de trigo branca refinada.

Cuscuz tem menos carboidrato e mais fibra que a tapioca

Se formos comparar uma tapioca média de 90g com um cuscuz de 90g, a segunda alternativa se mostra uma opção bem mais vantajosa para quem visa o emagrecimento. A primeira opção tem, em média, 74g de puro carboidrato, enquanto o derivado do milho apresenta apenas 24g, mais fibras.

E agora?

O que determina o sucesso na dieta é o contexto. A partir dessas informações, podemos concluir que a tapioca definitivamente não combina com perda de peso, levando em consideração a quantidade e a frequência com que será consumida, é claro.

Se um indivíduo está seguindo uma dieta para dar adeus àqueles “quilinhos extras” e opta por ela diariamente, precisará abrir mão de outras fontes de carboidrato. Apenas para efeito de comparação, uma tapioca média equivale a quatro fatias de pão integral ou cinco colheres cheias de arroz (quase 4x mais carboidrato que um pão francês).

Por outro lado, quem precisa ganhar peso ou atletas com alto gasto calórico diário pode se beneficiar.

(*) Thaiz Brito é nutricionista pós-graduanda em Nutrição Esportiva Clínica

Mais lidas
Últimas notícias