Aumentar as calorias da dieta pode te ajudar a emagrecer. Entenda

Estratégia é uma forma de controlar o efeito platô, ou seja, a estagnação da perda de peso

atualizado 09/06/2021 11:27

Unsplash/Divulgação

Ao dar início ao projeto de emagrecimento, muitas pessoas logo colocam na lista que irão fazer mais atividades físicas e diminuir as calorias da dieta. Ao menos no segundo ponto, isso pode não ser uma verdade universal.

Em diversos casos, a solução é justamente o contrário: aumentar as calorias da dieta. Isso se deve porque, na intenção de “secar”, o indivíduo que reduziu drasticamente o consumo calórico entra em uma estagnação de peso, o efeito platô, nome dado à adaptação do metabolismo frente a uma estratégia dietética.

Com esse efeito instalado, ainda que a pessoa tenha baixado a ingestão calórica, não conseguirá mais ver os dígitos da balança caírem, justamente por conta dessas adaptações que deixam o metabolismo mais lento.

Um artigo recente abordou as consequências desse comportamento, tão comum entre quem quer ficar “fit”. No processo de diminuição das taxas de gordura, é muito comum que ocorra um aumento do apetite pelo desbalanço, principalmente, de dois hormônios: leptina, que cai; e grelina, que sobe.

A partir disso, a sensação de aumento de fome se instala, resultando em atitudes como beliscar mais, se exceder nas refeições livres, ter um menor controle inibitório – o que o faz escapar mais da dieta – e frustração.

Aumentar as calorias para fins de manutenção pode ser uma estratégia bastante eficiente. A fome irá diminuir, haverá uma maior adesão ao planejamento alimentar e a queima de gordura poderá, assim, continuar.

Nessa situação, é como se fosse dado um passo para trás para que se dê dois para frente. Por isso, estratégias para emagrecimento não são tão óbvias como imaginam. Não deixe de buscar acompanhamento profissional e muita orientação.

(*) Thaiz Brito é nutricionista pós-graduanda em Nutrição Esportiva Clínica

Últimas notícias