Após quarentena, número de pedidos de divórcio aumenta

Na China, país em que a pandemia de coronavírus teve início, houve recorde de separação nas últimas semanas

atualizado 30/03/2020 18:22

Arte de uma casa partida ao meio para simbolizar divórcio do casal retratado. Criança chora no meioFreePik

Enquanto parte do mundo se acostuma a um cotidiano de restrições para conter a disseminação do coronavírus, a vida na China, primeira nação a identificar casos da doença, começa a voltar ao normal. Ou quase. Isso porque além de ter mudado consideravelmente a rotina das pessoas, o isolamento desfez lares.

Segundo o The Global Times, após a quarentena, o número de pedidos de divórcio subiu significativamente no país. Em muitas cidades, inclusive, sequer há horários disponíveis nos cartórios para tratar do assunto.

Xi’am, por exemplo, onde vivem 12 milhões de habitantes, registrou recorde na quantidade de pedidos de divórcio nas últimas semanas. Outros sites também mostraram relatos de alta bem acima da média na procura por cartórios de municípios de diversas províncias, como a de Sichuan.

Análise

Em entrevista para a BBC, a escritora Lijia Zhang diz que ainda é cedo para apontar um motivo para isso. Ela afirma que é preciso observar se o fenômeno se repetirá nacionalmente e mesmo em outros países que adotaram medidas de confinamento.

Além disso, os cartórios estiveram fechados durante cerca de um mês, o que cria uma demanda reprimida. E os chineses já vinham se divorciando em um ritmo mais acelerado nos últimos anos.

“Grandes episódios como este fazem as pessoas pensar mais nas suas vidas e o que realmente interessa”, ressaltou.

“É verdade, também, que os casamentos que sobreviveram à quarentena devem seguir mais fortes!”, complementa.

Últimas notícias