Coronavírus: brasiliense na China relata cotidiano de restrições

A mulher, de 33 anos, é universitária na cidade de Chongqing e está em quarentena no alojamento da instituição para evitar contágio

ilustração de pessoas com máscara no rosto, coronavírusAda Yokota/Getty Images

atualizado 20/02/2020 17:23

Para conter a disseminação do coronavírus, o governo chinês está tomando medidas que afetam o dia a dia da população. Com a liberdade restringida, os moradores de algumas províncias estão presos em casa e só podem sair para fazer compras com autorização.

Uma universitária brasiliense de 33 anos, que pediu para ter sua identidade preservada, está em quarentena no alojamento de uma faculdade na cidade de Chongquing e relata um pouco sobre a nova rotina. A cidade não está em quarentena, mas as autoridades de saúde pública criaram medidas de controle para a população.

“Nesta última semana recebemos muitas notícias acerca do coronavírus. Entre as medidas da China pra erradicar o vírus (ou ao menos diminuir a propagação), está manter rigidez na circulação de pessoas, principalmente nos grandes centros urbanos. Como moramos na universidade, as medidas que temos que tomar são: não sair da universidade sem autorização e andar sempre de máscara”, conta ao Metrópoles.

A universitária explica que a vida se tornou mais restrita nesta última semana. Até então, ela podia ir ao centro da cidade de ônibus por duas horas. Agora, só pode sair para fazer compras a cada três dias, se o departamento permitir, e deve enviar diariamente à secretaria do curso um relato sobre temperatura corporal e como está se sentindo.

“Agora fecharam tudo: não podemos mais praticar esportes, caminhar, jogar badminton (esporte muito popular no país, parecido com o frescobol). E o que mais tem nos assustado é que as aulas não começarão de maneira presencial. E de acordo com o departamento, a normalidade na China só ocorrerá a partir do final de abril ou maio”, diz. “Não estou bem, talvez ficar aqui me deixe louca”, afirma.

A brasiliense conta que recebe, diariamente, uma mensagem do governo explicando as medidas e reforçando a necessidade de quarentena intensa para pessoas que tiveram contato próximo com pessoas infectadas com o coronavírus. Outra mensagem repassa dicas para limpeza e desinfecção de mercados e locais públicos. “Obrigado por seu apoio e cooperação”, diz o recado.

Últimas notícias