Vídeo: aprenda a reduzir ansiedade e dor nas costas em 2 minutos

Andrea Hughes, professora de yoga, mostra maneira simples de minimizar efeitos do home office por meio da modalidade milenar

atualizado 08/04/2020 17:34

Mulher meditandoiStock

Desde que milhões de trabalhadores passaram a adotar o esquema de home office para evitar aglomerações e conter o avanço da pandemia de coronavírus, algumas queixas são comuns. Entre elas, duas aparecem com mais frequência: excesso de trabalho, que gera quadros como ansiedade e estresse, e aumento de dor nas costas.

Professora de yoga, Andrea Hughes ensina, com exclusividade aos leitores do Metrópoles, uma forma simples de resolver os dois problemas em apenas alguns minutos. Segundo ela, uma maneira eficiente é deitar-se no chão e elevar as pernas na parede de casa. Um tapetinho de exercícios é o necessário, e os resultados se estendem a longo prazo.

Essa pose regulariza o fluxo sanguíneo e reduz a pressão no corpo, ao mesmo tempo em que acalma a mente.

Ela pode ser feita, também, após a prática de exercícios, como as séries para treinar o bumbum e abdômen publicadas no portal.

Desde o início da quarentena em Brasília, Andrea tem aproveitado o momento para expandir os seus serviços on-line. Ela tem ensinado os alunos diretamente da sala de casa. Criadora do projeto Yoga em Brasília, a profissional dará uma aula especial neste domingo. Veja mais informações na página da iniciativa.

A professora

Com tapetinho em mãos, Andrea Hughes é conhecida pelo jeito leve com o qual vê e ensina o exercício criado há cinco mil anos e que, para ela, é mais mental do que físico.

“A yoga ainda não tem uma fama muito esportiva, apesar dos níveis de dificuldade serem bem variados. Há aulas intensas, para suar mesmo; e outras relaxantes, para sair ‘pisando em nuvens’. Em geral, as pessoas querem acalmar a mente, controlar a ansiedade e minimizar os sintomas da depressão”, conta.

A medicina vê na yoga uma terapia complementar: estudos do instituto americano MD Anderson Cancer Center comprovaram que a atividade reduziu os níveis de cortisol (hormônio “ do estresse”) de pacientes com câncer.

E mais: segundo pesquisadores da Universidade de Waterloo, no Canadá, a prática de 25 minutos diários ajuda na circulação de sangue no cérebro, além de estimular o sistema cognitivo.

Últimas notícias