Barriga sequinha, pernas fortes e alma zen: testamos o Yoga-Barre

Modalidade mixa movimentos do balé com posturas da yoga. O resultado é um corpo definido e uma mente tranquila

UnsplashUnsplash

atualizado 28/08/2019 20:19

Abdômen tanquinho. Pernas torneadas. Braços definidos. Postura impecável. Se a primeira imagem que vem à cabeça para conseguir essas sonhadas características físicas são longos treinos de musculação, repense seus conceitos. Recém-chegada à capital federal, a nova modalidade fitness Yoga-Barre une movimentos de balé com posturas de yoga. O resultado é um corpo sequinho com um plus: leveza que chega à alma.

A responsável por trazer a Brasília a prazerosa atividade é Luiza Barufi, jornalista que cobre saúde e bem-estar para um veículo especializado.

Depois de dois anos morando e estudando em Nova York, onde as aulas com barra são febre, a jovem decidiu apresentar aos moradores locais uma nova forma de malhar, na qual os resultados são sentidos logo na primeira aula e não envolvem leg press, supinos ou cadeiras extensoras.

Não estamos falando apenas do fortalecimento de músculos, mas do bem-estar proporcionado pela prática.

Wilson Xphotos
Luiza Barufi destaca benefícios da prática: corpo definido e bem-estar

O Metrópoles testou e explica como funciona. A atividade pode ser feita até três vezes por semana. Dura 55 minutos, que mal se vê passar. Ela começa com uma saudação ao sol, um “aquecimento” normal para praticantes de yoga para entrar no clima e focar no momento presente (o falado mindfulness).

Depois, Barufi inclui uma série de exercícios com foco na isometria. Num deles, o praticante se equilibra com as mãos na barra enquanto eleva as pernas para trás, uma de cada vez. Depois de repetir o movimento por um tempo, é hora de ficar parado na mesma posição por alguns segundos. Embora não tenha nenhum peso, a sensação nas pernas é de queimação. “É a ação do ácido lático”, conta Luiza. Ela respeita o limite de cada aluno, sem forçar. Há muitos agachamentos e pranchas.

Durante todo o tempo, a instrutora pede foco na respiração (pranayama, como chamam os praticantes de yoga), elemento fundamental e que difere a Yoga-Barre de outros treinos. De fato, quando a inspiração e a expiração são feitas corretamente, a execução flui melhor.

No fim, deitada no chão e com pés e mãos abertos, é hora de relaxar. Músicas de empoderamento ajudam a compor o ambiente de autoconfiança. No entanto, não pense que é só meditação. Na aula, perde-se entre 400 e 500kcal.

Vale frisar: embora a professora seja uma bailarina clássica e tenha formação em balé fitness com a goiana Betina Dantas, não é precisar dançar nas aulas, muito menos usar sapatilhas.

A recomendação é ir como se vai à academia, mas descalço. Vale frisar que, embora algumas pessoas confundam, não há associação ao pilates no método.

O Yoga-Barre é ministrado na academia de dança Bailacci, na 508 Sul, ao lado do Espaço Cultural Renato Russo. Os planos vão de R$ 287 a R$ 307, mais R$ 119 de taxa de matrícula. Neste sábado (31/08/2019), haverá uma aula beneficente a um abrigo que cuida de animais. Para participar, basta doar um pacote de 1kg de ração para cachorros ou gatos. Mais informações pelo número 99969-4858.

Últimas notícias