Voluntário em teste de vacinas contra Covid-19 relata febre e vômitos

Ian Haydon, de 29 anos, recebeu a dose mais alta da imunização desenvolvida pela Moderna. Versão não passará para próxima etapa

Ian Haydon - voluntário em teste da vacinaIan Haydon/ Twitter

atualizado 27/05/2020 19:36

Febre de 39,4 °C, vômito e dor no braço foram algumas das reações adversas da vacina desenvolvida pela Moderna, empresa norte-americana de biotecnologia, contra o novo coronavírus na fase de testes. O relato foi feito por Ian Haydon, 29 anos, de Seattle, nos Estados Unidos. Ele foi um dos quatro voluntários que tiveram reações sérias à imunização, entre os 45 participantes dessa etapa.

O jovem norte-americano contou ao STAT News que sua temperatura subiu apenas 12 horas depois da administração da segunda dose da vacina, em 5 de maio. Ele procurou por atendimento médico e a indicação foi para que usasse Tylenol. Ao chegar em casa, dormiu por cinco horas seguidas e acordou com 38,6 °C de febre, vomitou e, em seguida, desmaiou.

Mesmo com os efeitos colaterais, Haydon não se arrepende de ter sido voluntário e não teme ter reações em longo prazo. “Entendo que compartilhar a história será assustador para algumas pessoas. Espero que não provoque nenhum tipo de antagonismo em relação às vacinas em geral ou mesmo a essa vacina”, disse.

A Moderna informou que três participantes, incluindo Haydon, receberam a dose mais alta possível. O quarto tomou uma dose mais baixa e desenvolveu uma erupção cutânea no local em que a vacina foi administrada. A  empresa já informou que a versão com a dose mais alta não passará para as fases seguintes de avaliação.

0

 

Últimas notícias