Vacina de Oxford deve proteger contra coronavírus por um ano

Anúncio foi feito pelo CEO da AstraZeneca, farmacêutica que se prepara para produzir a imunização

atualizado 16/06/2020 14:26

Enfermeira aplica dose em pacienteHugo Barreto/Metrópoles

Considerada como a candidata à vacina contra o coronavírus mais promissora até aqui, o método desenvolvido pela Universidade de Oxford provavelmente imunizará o paciente por um ano. A declaração foi feita pelo CEO da AstraZeneca, Pascal Soriot — a farmacêutica é parceira da universidade na empreitada e será a responsável por produzir e distribuir a vacina pelo mundo.

O método de imunização está na fase 3 de estudo clínico (quando é testado em um grupo grande de humanos, neste caso, são 10 mil), e os primeiros resultados sobre sua eficácia devem ser divulgados em agosto.

A AstraZeneca já fechou contrato para produzir 400 milhões de doses para Alemanha, França, Itália e Holanda, 400 milhões só para os Estados Unidos e 100 milhões para o Reino Unido — o objetivo da empresa é começar a distribuir a imunização em outubro. A farmacêutica também deve produzir 1 bilhão de doses para países em desenvolvimento em 2021.

0

Últimas notícias