Covid-19: com cientista brasileira, Oxford inicia fase 3 da vacina

A estimativa dos pesquisadores é que os resultados da eficácia da imunização estejam disponíveis em um intervalo de dois a seis meses

atualizado 02/06/2020 10:14

A Universidade de Oxford, no Reino Unido, começa nesta semana a terceira fase de testes clínicos da vacina contra a Covid-19. Nesta etapa, cerca de 10 mil voluntários saudáveis serão vacinados na Inglaterra.

A imunização desenvolvida na Escola de Medicina Tropical de Liverpool é uma das que se encontra em fase mais avançada no mundo. Em apenas dois meses, os testes em humanos passaram da fase um para a três (atual). Os cientistas estimam os primeiros resultados em um intervalo entre dois e seis meses.

Mesmo sem a conclusão do estudo ou a aprovação dos órgãos de vigilância, ela já vem sendo produzida em larga escala, o que confirma o otimismo sobre a eficácia do medicamento pelos cientistas.

O objetivo é ter uma grande quantidade de doses logo após a aprovação, segundo a imunologista Daniela Ferreira, brasileira que integra a equipe da Inglaterra. A ação rápida garantirá que a população comece a ser imunizada o quanto antes.

O principal alvo desta etapa são os profissionais de saúde, mais vulneráveis ao novo coronavírus no trabalho diário. Os voluntários serão divididos em dois grupos: os que serão imunizados com a nova vacina e os que receberão uma vacina feita a partir da mesma plataforma (adenovírus) da vacina contra a Covid-19.

Outros 18 centros de pesquisa do Reino Unido participam desta etapa junto à universidade inglesa para alcançar o volume de testagens desejado em prazo acelerado. (Com informações do Estadão)

0

 

Últimas notícias