Uso diário de bebida e cigarro envelhece o cérebro, diz pesquisa

Cientistas compararam imagens cerebrais de 17 mil pessoas, com idades entre 45 e 81 anos, com seus hábitos relacionados a bebidas e cigarro

ViewApart/IStock

atualizado 03/02/2020 21:11

A resseca não é o único problema associado ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia compararam imagens cerebrais de 17 mil britânicos com idades entre 45 e 81 anos e seus hábitos relacionados a bebidas e cigarros.

Os que usavam bebidas alcoólicas na maior parte dos dias tinham o cérebro mais envelhecido do que os que não eram bebedores tão frequentes. De acordo com os pesquisadores, os “cérebros envelhecidos” mostraram mais sinais de deterioração do que os órgãos de pessoas da mesma idade cujo consumo de álcool era mais controlado.

De acordo com o estudo, a cada grama de álcool consumida acima de uma dose o cérebro dos participantes era 0,02 anos mais velho do que o órgão daqueles que não bebiam – isso equivale a um dia e meio de idade.

Geralmente, uma dose de bebida tem 8 gramas de álcool: um shot de vodca é considerado uma dose, uma taça grande de vinho contém três doses, bem como uma caneca de chope.

Quanto ao fumo, a relação é praticamente a mesma: aqueles que fumavam diariamente tinham uma idade cerebral relativa mais alta do que aqueles que fumavam com menos frequência ou praticamente não fumavam. A relação é que a cada ano fumando um maço de cigarros por dia, o cérebro é 0,03 anos mais velho do que os de pessoas não fumantes. (Com informações do Daily Mail)

Últimas notícias