metropoles.com

Semana de trabalho de 4 dias reduz burnout e mantém produtividade

Maior teste do mundo sobre novo modelo de trabalho mostra funcionários menos estressados, com mais qualidade de vida e produtividade

atualizado

Compartilhar notícia

Getty Images
Imagem colorida: mulher na rua com copo de café e tablet - Metrópoles
1 de 1 Imagem colorida: mulher na rua com copo de café e tablet - Metrópoles - Foto: Getty Images

Como você se sente ao final de uma semana de trabalho? O que faria se tivesse um dia a mais de folga? Um grande estudo internacional, publicado na terça-feira (21/2), mostra que a jornada de trabalho de quatro dias é benéfica tanto para os funcionários quanto para os empregadores.

O maior teste do mundo sobre o esquema de quatro dias, coordenado pela organização 4 Day Week Global, mostra que a semana mais curta é capaz de reduzir o burnout em 71% sem afetar as metas de produtividade das empresas.

O experimento foi feito com 2,9 mil trabalhadores de 61 empresas do Reino Unido dos ramos financeiro, varejista, de consultoria, habitação, TI, marketing, hotelaria e recrutamento. Durante seis meses – entre junho e dezembro de 2022 – as companhias reduziram a jornada de trabalho de seus funcionários em 20%, sem alterações nos salários.

Sete em cada dez (71%) funcionários relataram níveis mais baixos de burnout do que antes; cerca de quatro em cada dez (39%) se sentiram menos estressados graças ao horário reduzido.

A síndrome de burnout é o resultante de estresse crônico provocado pelo trabalho, seus principais sintomas são exaustão, esgotamento mental e redução de produtividade. Em janeiro de 2022, a Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu o burnout na lista de doenças do trabalho.

No experimento, os chefes conseguiram aumentar a eficiência de suas equipes implementando reuniões mais curtas, períodos de foco sem interrupção e listas de tarefas de fim de dia.

0

Tempo pessoal

O fim de semana de três dias foi positivo para as pessoas que têm filhos ou cuidam de parentes. Seis em cada dez disseram que ficou mais fácil conciliar a vida profissional com a pessoal. Para 62% dos entrevistados, o tempo livre também foi benéfico para a vida social.

Quando questionados sobre o que faziam no dia extra de folga, a maioria afirmou “administrar a vida” com compras para a casa ou tarefas domésticas para aproveitar melhor o fim de semana, sem preocupações.

Muitos disseram que faziam atividades recreativas como esportes, voluntariado ou cozinhar por prazer. Algumas pessoas usavam o tempo para a qualificação profissional ou prática de novas atividades.

Benefícios para o empregador

Os dados revelaram que, para 95% das empresas, as metas de produtividade permaneceram as mesmas ou melhoraram. As empresas tiveram um aumento médio de 1,4% na receita.

Além disso, houve uma redução de 57% nas saídas dos funcionários das empresas em comparação ao ano anterior, incentivada pela melhora da qualidade de vida após a redução da jornada.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comSaúde

Você quer ficar por dentro das notícias de saúde mais importantes e receber notificações em tempo real?

Notificações